2008-12-31

Até para o ano

recados orkut

BOAS SAÍDAS MELHORES ENTRADAS E QUE 2009 TRAGA TUDO O QUE OS MEUS AMIGOS DESEJAM

Que seja vencidas as dificuldades que nos esperam, e que tenham sempre tenham : Saúde, Perseverança, Trabalho, e Dinheiro para gastos.

2008-12-30

Adeus ao Roy Roy

Fotos do autor - Roy Roy no banco de trás do carro

Hoje estou triste, com uma angustia e dor no peito, o meu cachorro, caniche de nome Roy Roy com pouco mais de 5 meses de idade e á cerca de pouco mais de 3 meses em minha casa, era uma alegria, até parecia que já cá estava á muito muito tempo , tal era a sua vivacidade, hoje foi atropelado e morreu. Um acidente estupido como quase todos os acidentes, numa rua quase deserta , velocidade, descuido ou falta de atenção, improvisto, fatalidade.
Estávamos a dar um pequeno passeio, como é habitual ele ia para todo o lado comigo, pela companhia, pela esperteza pelo carinho, cachorro, obediente e vivo.
Tivesse o tempo que fosse, dentro do carro nada fazia, Tive de fazer uma paragem com a esposa, esta saiu do carro, e eu francamente não me estava a apetecer, mas o Roy, resolveu ir a trás da dona, então eu sai e fomos dar um pequeno passeio,
O destino marca a hora das pessoas e dos animais, nada podemos fazer para o modificar, sinto raiva e revolta, poderia eu ter evitado, não saindo do carro, não sei e uma interrogação o porquê? Nada fazia prever tão trágico destino, todos diziam que tinha tido sorte em encontrar assim uns donos, e durou tão pouco
Como era habitual, ele mantinha-se no passeio pelo que estava descansado, nada previa a sua mudança súbita, mas hoje e uma coisa que não tinha feito, (e não voltará a fazer), viu um outro cão de grande porte, do outro lado a rua, a cerca de 50 metros, e desta vez, nem sei porque razão estava parado e sossegado e de repente, resolveu correr para o outro cão. A zona estava calma á minutos que não passava nenhum carro, mas naquele momento, ao atravessar a rua, um carro que talvez não devesse vir tão depressa como seria desejado, a verdade é que apanhou o cachorro, uma vez e não parando de imediato, passou novamente por cima do cachorro, creio que aqui e pelo que infelizmente me deu a ver foi fatal. A paragem não foi imediata e assim passou uma e outra vez por cima do cachorro. O condutor parou, quis prestar assistência levando o cão ao hospital, mas eu nada quis, a minha dor era maior e nada já havia a fazer, o condutor foi em paz, (e que pense se o quiser que se fosse mais devagar evitava o acidente,) mas reconheço., pois também sou condutor, que talvez não o embate podia ter sido ligeiro não causando tanto dano, mas a culpa maior foi de facto do cachorro que pagou com a vida.
Peguei no Roy nos meus braços, meti-me no meu carro e demorei não mais que 2 a 3 minutos até ao hospital veterinário do Restelo, que foi imediatamente atendido. Com ele no carro não gemia pouco ou nada se mexia, deitei-o na maca, a médica ocultou-o e disse que nada havia a fazer e que já não sentia o coração e passados um segundo finou-se.
Aqui onde passei algumas horas com o cachorro a fazer companhia ou a pedir a atenção, ou deitado na sua caminha, sento-me abatido talvez por isso escrevo esta crónica para eliminar esta tristeza, pois ao escrever estas palavras ia me lembrando das coisa boas que ele me preposicionou dos momentos de alegria, da suas brincadeiras do quanto gostava de carinhos, de ultimamente me ir chamar á cama logo pela manhã para o ir passear, assim evitava fazer as necessidades em casa, não o irei esquecer e não sei se terei outro caniche, pois nada será o mesmo tão depressa não sei se vou querer outro cachorro. Aqui fica a sua imagem quando andávamos no carro e que tanto gostava e como será recordado.

2008-12-14

Somos assim

Se somos o que somos,
Porque somos assim,
Não somos estranhos,
Vivemos como somos,
Antes assim

Sem fantasias ou mascaras,
Vivemos assim,
Rectidão e verdade,
Não agrada a todos,
A vida é assim

A vida nem sempre sorri,
Porque somos assim,
Injustiças encontramos,
Inimigos geramos,
Tristeza assim

Sentimo-nos bem connosco,
Dormimos tranquilos assim,
Sem sujeições ou complexos,
Amigos possuímos
Felizes assim

2008-12-09

Guerreira lutadora

Recebi uma missiva que, me sensibilizou e resolvi de imediato fazer e dedicar este poema e uma flor a: “ Espaço Azul”



Foto do autor C Valente - Rosa com lágrimas


Grita bem alto todas as amarguras contidas
Grita a plenos pulmões frustrações vividas
Gritos gemidos das dores físicas sentidas
Derramadas as lágrimas, todo o sofrimento

De tanto chorar o rosto se foi fechando
No peito se apodera um cruel egoísmo
Luto contra a doença, este mal que corrói
Interroga-se inconscientemente é assim

Ano após ano e vão tantos de sofrimento
Crises de hidrocefalia, cancros crescentes
Entre comas e perdas de noção de tempo
Tanta enfermidade que é difícil descrever

Olha o semelhante com certa indiferença
Não a consola que existem casos piores
Nem inveja aqueles que são saudáveis
Guerreira, lutadora autentica sem falsidade

Diferentes estados de espírito se instalam
Conflitos entre amor, raiva, fé, solidariedade
Inveja, ternura, frieza, contentamento, aflição
Se questiona, tal pessoa cheia de humanidade

Na actualidade reclama-se contra a crise
Crise de solidariedade, financeira moral
Muitos com fome, sem trabalho sem lar
Outros que se preocupam com futilidades

Diferentes estados de espírito se instalam
Conflitos entre amor, raiva, fé, solidariedade
Inveja, ternura, frieza, contentamento, aflição
Se questiona, tal pessoa cheia de humanidade

Dias em que as forças fraquejam ou se perdem
Forte dose de tratamento e remédio se tomaram
Só resta o apoio daqueles que tantos nos ama
Renasce a vontade de viver que a acompanha

2008-12-07

Rua, palco da vida

A rua é como um teatro aberto
Actores encontram-se no terreno
Onde o palco é a rua, ou praça
Caracterização de rostos tristes
Caras limpas, pintadas enrugada
O espectáculo começa cedo
Dia a dia se recria uma figura
Enredo bizarro sem termo
Imagens de quem corre
Para o trabalho, para a lide
Á procura de um emprego
Uma busca de esperança
O mendigo pede a esmola
A senhora às compras vai
Montra, cartaz de vaidades
A arte transforma o espaço
Emoção a cada momento
Laços de dupla cumplicidade
Actor e público, se fundem
Dose de violência na linguagem
Brusquidão reflectida nos gestos
As pessoas assumem o seu papel
Sem desistir, dominado o medo
Espectáculo sem vedetas
Com um texto complicado
Humor subtil se apresenta
Numa encenação espontânea
Cada dia, drama e comédia
Historias de sobreviventes
Desassossego entre vidas
De jubilo ou desdita contida
Personagens enredadas na teia
Motores, conversas apresadas
Gritos passos, choros, buzinas
Um cego toca uma ladainha
Musicalidade feita de improvisos
Canções sem banda nem maestro
Ritmos alucinantes ou melancólicos
O pano vai caindo com o anoitecer
Os actores vão saindo de cena
Outras personagens vão surgindo
Outro amanhã virá certamente
Luzes como projectores se acendem
Escuridão, silêncios e gemidos
A noite remete para o drama
Território de sonhos e fantasias
Demónios fantasmas, desilusões
Esperança que um dia tudo será melhor

2008-12-05

Época de festividade

Foto do autor CValente - Cartão de boas festas

O mês de Dezembro
Época de festividade
De alegria e amizade
Também de falsidade

Tradições patentes
Pessoas se cruzam
Ofuscado pelas luzes
Ao próximo Indiferente

As ofertas estão, no dar
Ao amigo a dedicação
Aos familiares a amizade
Ao desconhecido um sorriso
Aos vizinhos a saudação
Ao doente um conforto
Aos distantes um telefonema
Aos ante queridos uma oração

Um sorriso você vai dar
E outro você vai receber
Momento mágico acontece
Derrete o gelo, coração a aquecer

O valor não está no objecto
Mas no intuito com que se dá
Na alegria com que se recebe
Na felicidade que paira no ar

Haja paz, harmonia fraternidade
Bonito ver as famílias reunidas
Na consoada da noite de Natal
Esquecer rancores e inimizades

Deixamos grandes compras
Presentes caros espalhafatosos
Estamos em crise que incomoda
Mais e mais amor, menos ostentação

2008-11-28

Dar

Dar
Dar amor
Dar prazer
Dar sangue
Dar amizade
Dar alegria
Dar vida á vida
Dar um galanteio
Dar uma esperança
Dar um beijo
Dar um sorriso
Dar a saudação
Dar um aperto de mão
Dar um bom concelho
Dar alma a um projecto
Dar apoio a quem precisa
Dar o melhor de si mesmo
Dar elogio ao merecedor
Dar socorro a quem precisa
Dar igual ao que recebemos
Dar a mão a quem necessita
Dar graças a Deus
Dar tempo ao tempo
Dar a César o que é de César
Dar custa tão pouco, e vale muito
Dar
Dar
Dar o que não tem preço, custa pouco, vale muito

2008-11-25

Ensaio sobre a Droga

A vida é uma droga , inale

Droga que é veneno e morte
Causadora de graves danos
Devastação de vidas e bens
Pessoais, familiares, sociais

Necessário é distinguir as drogas licitas das ilegais

Drogas farmacêuticas são benéficas
Quando produtos medicamentosos
Devidamente tomados e controlados
Aliviam a dor, sofrimento e angústia

Droga é tudo o que seja excesso

Cuidados no uso excessivo da droga
Provoca dependência autodestruição
Transformadora do homem em escravo
Modificação de carácter, nefasta situação

O momento de parar, é antes de começar

Estupefaciente, alucinógenos, tranquilizantes
Droga, narcótico, entorpecente tóxico
Droga é Erva, Cola, Benzina
Liamba Maconha Marijuana
Ópio, Morfina, Heroína
Cocaína, Haxixe, Anfetaminas
Ecstasy, Crack LSD

Minutos de prazer, anos de sofrimento

Drogas naturais e sintéticas
Artificias como muitos nomes
Pelas ruas vielas e lugares
Diminutivos, códigos, calão

Toxicodependente, farrapo humano

Doente, toxicodependente, drogado
Sem vontade rumo, sem dignidade
Irracionalidade ruína e destruição
Vício, caminho da marginalidade

Investir na pessoa não na droga

Agarrado, dá em criminoso, ladrão
Atinge lares sejam ricos ou pobres
Afecta todos, até os que não são
Droga, droga quanta consternação

Acaba com a droga, não é criar institutos ou salas de chuto

Miséria para uns, quantos
Enriquecimento para outros
Sustentar a droga sai caro
Na sombra está o tubarão

A consciência não tem espelho, o traje não reflecte a alma

Droga é tráfico e corrupção
Mãos sujas, camisas limpas
Gente sem honra sem pudor
Colocados na sombra estão

Num estado corrupto, demasiadas leis são criadas

A droga é um negócio lucrativo
Rende e move muitos milhões
Não é a raia miúda que os tem
Dinheiro é império de barões

O dinheiro, muita gente suborna, não contribua

Justiça cega, no braço curto da lei
Negocio, narcotráfico sem fronteiras
Difícil é a batalha, conquistar a guerra
Atravessa países neste mundo global

2008-11-21

Ensaio sobre o medo

Foto do autor C Valente- Cemitério dos Prazeres - Lisboa; O ultimo caminho

Será medo do medo
Que tenho medo
Sentimentos de inquietação
Dos medos que tenho em mim

Medo dos que criam medos
Das formas e contornos do medo
Medo dos idiotas impostores
Que dizem nunca ter medo… do medo

Neste mundo actual medonho
Terrorismo, guerras, destruição
Medos dos perigos que ameaçam
Ditaduras, violência opressão

O medo psicológico é doença
Medo da perda de memoria
Cancro, cegueira, traumatismos
Enfermidades permanentes… e morte

O medo conduz á apatia
Acaba com a esperança
Idosos obcecados na solidão
Jovens receiam inadaptação

O medo tem diversas formas
Muitos nomes o medo tem
Pânico, pavor fobia… até susto.
Desemprego, instabilidade também

Medo sem reflectir tem o herói
Só um louco não tem medo
O Homem não teme a morte
Mas a existência vegetativa e dor

A humanidade coexiste com medo
Os medos atrasam o progresso
Tortura o sábio, Reprime a ciência,
Aterroriza o povo, destrói a paz

O medo nem sempre é cobardia
O medo pode dar rumo á existência
Um estimulo num desafio á vida
Conquista a razão, cria a coragem

É humano e natural o medo faz parte da vida
Negativo é a pessoa não saber enfrentar o medo
Salutar é aprender a conviver com o medo
O medo é positivo como estímulo de auto-preservação

2008-11-18

Ensaio sobre o tempo

Tempo não é somente
Passado presente futuro
É vida vivida a seu tempo
Outra dimensão
Que sabemos do tempo
O tempo saberá de si
Que nós sabemos dele
O tempo mede o tempo
Os dias os anos passam
Quando se dá pelo tempo
Verifica-se que é efémero
O tempo a seu tempo percorre
Historias sem tempo e sem fim
O tempo faz história
A história vive no tempo
As memórias vivem do tempo
Qual peça musical
Com andamentos variáveis
Tempo uma eternidade
Tempo temporal
Estações de frio e calor
Equinócios e Solstícios
Através do tempo a lenda
Tempo de memorias
Sinónimo de longevidade
Tempo de insónias
Termómetro da ansiedade
De despertar e de alegrias
No barómetro de alma
Abrir a cortina do tempo
Um purgatório na terra
Tempo de momentos
Tempo de saudades
Ritmo enganador
É necessário matar o tempo
Apatia pelo tempo que passa
Homem sem tempo e sem rumo
A idade passou pelo tempo
Corpo carcomido
Pele enrugada
O tempo esmagador
Marcas de vivência
Num determinado tempo
O tempo para uns foi ontem
O futuro para muitos é hoje
O tempo amanhã virá
Na ampulheta do tempo
A areia deslizou e findou
Pêndulo do tempo presente
Tempo a construir ... o amanhã

2008-11-13

Realidade - ficção


Como câmara escura
A vida é uma ficção
Uma realidade virtual
Um toque literário
Romance inacabado

Personagem, criatura
Um ser diferente
Narrativa incompleta
Figura incontornável
Presença distinta

Vive num turbilhão
Tudo é mais rápido
Desfruta o momento
Realidade inquietante
Comportamento fogoso

Partitura de opereta
Caminho a percorrer
Ponte entre margens
Rios de lágrimas
Torrente de alegria

Descarrilar de problemas
Transbordam emoções
Vivências projectadas
Amor, ódio e paixões

Tela gigante ilustra
Percursos sinuosos
Batalhas constantes
Sessões continuas
Amanhã uma incógnita

O fim está certo ... A vida é tudo e nada.

2008-11-11

Telemóvel e condução

Presenciei um acidente de automóveis, felizmente foi só chaparia, não havendo feridos, acidente causado motivado por falta de atenção ou distracção de um dos condutores, e qual a razão - O telemóvel .
Será por opulência, ou vaidade, na verdade encontra-se ainda muito automobilista a conduzir e a falar ao telemóvel, pode-se também constatar que a maioria são senhoras ( e não tenho nada contra o chama o sexo fraco – acho até que este apelido é uma grande falsidade e ofensivo para com as mulher , dito já ultrapassado), mas é um facto.
Não entendo, pessoas com bons carros, com bons telemóveis, ou seja acessórios caros, não usam auriculares, ou tem dinheiro para muitas coisas, mas não para adquirir um kit de mãos livres, ou um Bleutooth.
Só posso entender por exibicionismo, pois qual queres destes aparelhos ou são oferecidos com o telemóvel, ou são comprados sem serem caros (passo a publicidade)
Também sou daqueles que aderi ao telemóvel, mas em principio só o uso no estritamente necessário e evitando longas conversações, e tomei como regra ser expressamente proibido o condutor (eu) atender ou efectuar chamadas telefónicas quando se está a conduzir. Se for uma emergência, pára-se o carro, mas não num lugar qualquer ou de qualquer maneira, onde não incomode o trânsito, atende-se ou retribui-se a chamada, assim deveríamos proceder todos nós.
Infelizmente isto não é verdade para muitos, pois a formação a educação e o civismo não se compra não se exibe, pratica-se simplesmente.
Não sou a favor das multas, muito menos por coisas mesquinhas ou do modo de “ caça á multa”, mas para o uso indevido de telemóvel deveria ser a multa pesada, assim os infractores optem por em vez de dar nas vistas ou por puro exibicionismo, só assim se entende ser, pois podem falar ao telemóvel por outro modo. Em não o fazer ou usarem os aparelhos recomendados.
Não sou contra o uso dos telemóveis, falem horas a fio, mesmo que não tenham dinheiro para o mais elementar, mas lembrem-se Telemovel e condução não ligam bem.


Se for conduzir não beba .
Se for a conduzir não fale ao telemóvel.

Não é por si…. É pelos outros.

2008-11-08

Fátima majestosa, mesmo diferente

Foto do autor: C Valente - Santuário de Fatima

Um lugar de respeito de oração e devoção, com a presença de muita gente, uns com aspecto turístico, mas não será menor a sua fé, na virgem no local, mas o local está diferente, há já um certo tempo que não vinha a este lugar,
respeitado por muitos, indiferente para alguns, mas devemos respeitar as opções religiosas de cada um, considero-me católico não praticante, tenho o meu próprio modo de olhar a religião, tenho fé em algo especial, mas desconfio do homem da igreja, seja padre ou bispo, são homens, e temos gente boa como má, cometem as coisas mais graciosas, como grandes crimes, são tentados como os outros pelo dinheiro., mas este tema nos levaria a abordar a religião mais profundamente.
Mas deixamos esta situação visitei o nova catedral, e mais parece, (salvo melhor opinião), um auditório de conferências, do que uma igreja, parce um lugar vazio e frio em vez de um espaço acolhedor. Depois não se entende o porque de se “roubar” espaço de via publica, obrigando a desvio onde outrora era praticamente uma recta, com separadores de cimento, dando o aspecto de obra constante. Quem é ou são os responsáveis, qual a posição da autarquia?
Gostaria de colocar aqui algumas fotos do interior da nova igreja, mas estava a decorrer uma missa, e respeito por isso vi-me por vontade própria de tirar fotos.
Como acontece prefiro, visitar a antiga e majestosa igreja, e aqui e como estava em silencio aproveitei como outras pessoas para tirar umas fotografias que aqui vos deixo algumas.
Mas de facto Fátima cada ano que passa está mais moderna e não só no plano religioso como a capela das aparições, que até é muito positiva, mas a nova igreja, que apesar da sua volumetria que poderá estar enquadrada mas o seu desenho e arquitectura não me agrada de todo.
Fátima já á muito que deixou de ser um simples lugarejo, uma vila , hoje é uma cidade tendo o seu epicentro no santuário, e á volta deste encontra-se uma série de hotéis, ( já ultrapassa as duas dezenas), as casa de artigos de mais ou menos religiosos e outras lembranças proliferam , enfim deixou de ser a pequena vila para se tornar uma cidade virada para o turismo em que a construção continua.


Foto de autor C Valente : Linhas frias - Nova Fatima


Foto do autor: C Valente - Crucifixo -Fatima


Foto do autor: C Valente - A virgem -Fatima


Foto do autor: C Valente Altar tradicional-Fatima


Foto do autor: C Valente Virgem abençoa todo o santuário



Foto do autor: C Valente - Catedral







2008-11-07

Regalias vs Obrigações

Não queres, nem gostas de trabalhar? Não importa
O governo dá-te o rendimento mínimo garantido

És da etnia cigana, trabalhas na venda e queres um segundo carro? Não á problema
Graças á eficiência do governo podes receber dois ou três rendimentos mínimos

De tanto andares folgado/a passas a vida a fazer sexo, coisa boa
Para prevenir o governo dá preservativos

Se dá muito trabalho usar preservativo, não te preocupes
O governo dá a pílula do dia seguinte.

Não gostas destas “tretas” porque dá uma trabalheira ir buscar
Não te chateis, se engravidar o governo oferece-te livre aborto

Mas mesmo assim, só tens azares e nasce a criança
Tudo resolvido, o governo dá-te abono de família com 13º mês

Agora que o problema de sexo passou, e a droga não, és viciado
O governo dá-te seringas, metadona acompanhamento

Precisas dinheiro para a droga, e vais roubar
O governo acha que és doente e não cumpres prisão.

És um marginal, “mitra” drogado
O governo dá-te o estatuto de doente

Mas ao contrario disto tudo se:

Tens problemas de infertilidade e queres ter um filho
Conta com problemas, o governo não te ajuda

Precisas de dinheiro para pagar a casa ao banco ?
Está tramado o governo só empresta aos bancos

Não tens, nem arranjas emprego ?
O governo também não te ajuda

Queres estudar ir para a faculdade ?
O governo cria-te dificuldades no acesso

Gostas de trabalhar e és um exemplo de bom funcionário?
O governo protege o patrão e tu vai para a rua

Trabalhas, constróis família e esforças-te para singrar na vida ?
O governo cria-te uma carrada de normas e dificuldades

Cidadão cumpridor e exemplar?
O que esperas do governo como certo… pagar impostos

Será que ainda desejas ser uma pessoa, honesta, trabalhadora e cumpridora?
Faz a tua avaliação pois do governo pouco ou nada esperes, Sim o que te dá.

Com atitudes correctas o que ganhas ?????
Migalhas da parte que é teu ... ou nada .

2008-11-02

C.M.Lisboa, Alcântara & Contentores

Quem conhecia a zona de Alcântara mar, nos anos 60 e 70, de facto era zona feia e suja na Boca do Bom Sucesso, que é a parte interior da zona do cais de Alcântara, onde agora estas as famosas docas, local de velharias uma doca transformada em cemitério de barcos, reparações oficinas e armazéns, tudo muito velho, junto ao clube naval. Servia para em miúdo darmos uns mergulhos, mesmo que as águas não eram muito limpas mas nessa altura não era muito importante.
No cais de Alcântara, onde havia sempre grande movimento de chegada e partida de navios da marinha mercante da Companhia Nacional de Navegação e faziam as viagens para as antigas colónias ou províncias ultramarinas, os navios de outras nacionalidades, dos barcos que faziam as viagens para as ilhas, onde vinham carregados de cana de açúcar, em que grupos de miúdos nos juntávamos e íamos pedir pedaços de cana para depois nos entretermos a roer, outros tempos
Lembra-me de facto de existir um enorme porto, onde outrora se encontravam diversos navios em estaleiro, e muito operariado, o funcionamento da Lisnave na rocha de conde de Óbitos
Da zona da Ribeira das Naus até á Alcântara-Mar era uma azafama e muitos navios, barcos de diversos tamanhos e feitios, e estávamos perto do mar, (com muito pouca zona interdita).
No cais de Alcântara ali embarquei como milhares de outros companheiros para as guerras do ultramar, forçado pelos políticos, alguns que hoje negam a sua participação e colaboração com o governo existente, que hoje condenam quando outrora defendiam.
No cais de Alcântara - Mar , onde havia sempre grande movimento de chegada e partida de navios, ai chorei lágrimas de tristeza , de partida, e lágrimas de alegria com a chegada vindo de cumprir o serviço militar obrigatório de mais de 2 anos.
Com a evolução dos tempos e dos anos fizeram na Doca do bom sucesso, a Marina, limparam toda a zona, acabaram com os velhos armazéns e foi transformado em ponto de encontro, bilhete postal da capital com discotecas e restaurantes e esplanadas.
Não se percebe outrora de facto um grande porto, agora uma amostra, mas como é possível a Administração do Porto Lisboa APL continuar a dominar e ter autonomia em toda a zona ribeirinha, e quando muita dessa zona devia segundo a minha opinião passar para o domínio da Câmara Municipal de Lisboa, é a mesma câmara que devia proteger e melhorar as condições de acesso ao mar criando zonas lúdicas, que resolve de forma pouco clara e transparente criar um corredor de contentores,
O problema como alguns querem colocar não tem haver com a altura, sabemos que cada contentor terá cerca de 2,5 m de altura, se empilharem 5 ou 6 teremos uma altura de pelo menos 3 andares, é certo, mas mesmo que só existisse (que não nunca seria verdade) um só contentor teríamos uma altura de 3m, continuando a vista a ser tapada, mesmo para quem passe de automóvel, mas o mais importante e nisto há sempre um mas. A zona a ser instalados os contentores será uma zona interdita, em que o cidadão ou visitante não tem acesso, (ninguém vai colocar uma esplanada entre contentores, só por graça) o que irá acontecer é que termos todo um corredor vedado, como é normal nestas áreas.

António Costa nega impacto visual do terminal de contentores
"Não está em causa nenhuma muralha de aço", disse o presidente da autarquia de Lisboa ao ser confrontado pelos jornalistas sobre o impacto visual da ampliação do terminal de contentores em Alcântara."


Quem acredita numa afirmação destas, assim como a da inocente concessão , sem concurso publico por mais 27 anos á empresa Liscont, do grupo Mota-Engil, com a administração de um ilustre socialista -Tudo bons rapazes.
Um professor universitário lançou mais uma petição , quem quiser aderir contra a situação veja : A petição "Em Defesa de Lisboa" pode ser assinada no endereço electrónico http://www.gopetition.com/online/23002.html.
Petição «LISBOA É DAS PESSOAS. MAIS CONTENTORES NÃO!»
http://www.gopetition.com/online/22835.html

2008-10-31

Homenageamos os mortos

Foto de autor - C Valente - Repouso dos defuntos

Amanhã é sábado e feriado “Dia de todos os Santos ” seguindo-se no domingo 2, o Dia de Finados, Dia dos Fiéis Defuntos, Dia dos Mortos, situação que a generalidade das pessoas tem conhecimento. Também é dias de visitas aos cemitérios prestar homenagem aos ante-queridos (pelo menos uma vez por ano) os mais idosos conhecem estas datas e esta tradição,e respeitam. Os mais jovens de um modo geral, passa-lhes ao lado, é mais um feriado, (e só estão aborrecidos porque calhou a um sábado) infelizmente é assim, mas a vida contínua.
Tudo isto a propósito de que não devemos esquecer os mortos, honrar a sua memória, assim como respeitar os vivos, suas crenças e convicções.
Alem de ir cumprir com o meu dever de filho, mais de uma vez por ano, neste período e na zona de Lisboa, e agora como tenho mais tempo disponível, vou nas vésperas, afim de evitar aglomerações outro dia será dedicado aos sogros pois a esposa também teve pais, que se encontram sepultados na zona Rio Maior.
Toda esta situação vem a propósito de apelar para uma situação que eu normalmente pratico.
Cada vez que visitem um cemitério, leiam o nome que se encontram num memorial, nas sepul-turas ou campas, nas gavetas , nos jazigos. Leiam o nome das pessoas, mesmo que nada lhes diga , será um modo de que alguém pronunciou o nome que já não está entre os vivos,, em voz baixa ou em voz alta é indiferente, mas com este gesto simboliza que alguém não foi esquecido. Um nome foi recordado mesmo que também já não tenha familiares vivos, que ninguem se lembra deles. É uma forma de homenagear o morto, um desconhecido, não importa quem foi, ali naquele lugar são todos iguais.
É um gesto que há muito pratico, e que recomendo que os outros também o façam, sentir-se-ão melhores como quando praticamos uma boa acção.
Um recomendação, que não tem nada de mórbido, visitem os cemitérios dos Prazeres, ou o de Alto S. João, em Lisboa onde encontram muitos bons monumentos, e por certos muitos outros há por esse país fora.
Um fim de semana com muita paz e serenidade,

Lembrando também uma data fatídica
Há 353 anos deu-se o Terramoto de 1755 ou Terramoto de Lisboa, que ocorreu no dia 1 de Novembro de 1755 pelas 9.30horas, realizava-se na altura muitas “missas de todos os santos”, o que segundo alguns mais agravou a situação, causando múltiplos incêndios com o desmoronar das igrejas e velas acesas, rapidamente se propagou o fogo. Do terramoto, resultou a destruição quase completa da cidade de Lisboa. O sismo foi seguido de um tsunami - que se crê terá atingido a altura de 20 metros – Calcula-se que o numero de mortos tenha excedido a 10.000 vitimas.
Nas áreas que não foram afectadas pelo tsunami, o fogo logo se alastrou, e os incêndios constam que duraram uma semana. Todos tentaram fugir e não havia quem o apagasse.
Segundo os modernos geológicos estimam que o sismo de 1755 poderá ter atingido a magnitude 9 na escala de Richter.

2008-10-30

Pensamentos

Foto do autor C Valente - Falsa janela

- Vida e morte não tem calendário. Acontece


- A verdadeira beleza é tão especial, tão especial que não se vê. Sente-se


-Parafraseando grandes autores não dá grandes méritos a quem o prenuncia

2008-10-27

Provérbios portugueses de P a Z

Provérbios de P a Z

A terminar aqui vos deixo a parte final, muitos provérbios ainda existem, talvez um dia volte a publicar mais alguns, lá para o próximo ano.

- Paga o que deves e poupa o que fica
- Palavras sem obras, são tiros sem balas
- Perdida a vergonha, não valem castigos

- Quando vem a glória vai-se a memoria.
- Quem não tem vergonha não tem honra
- Quem tem amigos, não morre na cadeia

- Ralham as comadres, descobrem-se as verdades
- Renega do amigo que por ti foge do perigo
- Repreensão bem dada é palavra abençoada

- Saudade é fraco remédio e doce engano
- Sardinha bem salgada, bem cozida, mas assada
- Se bêbado te vires, foge à companhia e vai dormir

- Todos querem chegar a velho mas ninguém quer que lho chamem
- Tempo e maré não esperam por ninguém
- Todo o sangue é vermelho

- Um dia frio e logo um quente, faz mal á gente
- Um tem a bolsa, outro o oiro, e assim vai andando o mundo
- Uma mulher faz tudo, duas fazem pouco e três não fazem nada

- Vale mais um inimigo que nos avisa
- Vêm as glórias, vão-se as memórias
- Virtude invejada duas vezes é virtude

- Zombai com tolo em casa, zombará convosco na praça
- Zé nabiça, quanto vê quanto cobiça
- Zombaria de siso mete os homens em perigo

2008-10-24

Provérbios - Ditos de H a O

- Há chuva que seca e sol que refresca
- Há mil modos de morrer e um só de nascer
- Homem velho e mulher nova filhos até à cova

- Ir para o inferno num cavalo grande
- Idade e experiência, valem mais que adolescência.
- Indo por caminho recto, de longe se faz perto

- Jarras quebradas, mar bonançoso
- Jogar com pau de dois bicos
- Juiz de aldeia, um ano no mando outro na cadeia

- Lágrimas não pagam dividas
- Lenha verde mal se acende, quem muito dorme pouco aprende
- Laranja de manhã é oiro, ao meio dia prata, e à noite mata

- Mais vale inveja que piedade
- Mais dano fazem amigos néscios (estúpidos) do que inimigos descobertos
- Mulher beata, pobre que muito reza e homem muito cortês é fugir de todos os três

- Na morte ninguém finge nem é pobre
- Não é o mesmo prometer que cumprir
- Navio sem leme, naufrágio certo

- O ignorante a todos repreende e mais fala do que menos entende
-O apetite é o melhor dos temperos
- O cravo segura a ferradura, a ferradura o cavalo, o cavalo o cavaleiro, o cavaleiro o castelo, o castelo todo o reino.

Escollham um a proveito e bom fim de semana

2008-10-22

Master Blog


Master Blog
Foi-me oferecido pelo meu amigo Eduardo Aleixo http://ealeixo.blogspot.com/ - À beira de Água , que muito agradeço, esperando continuar a merecer a sua amizade assim como a de tantos outros amigos virtuais.

Segundo indicação deverei nomear 9 blogs, mas aqui surge sempre a parte mais difícil, pois não posso nomear todos os que desejava, mas sei que os não contemplados sabem dessa dificuldade e compreendem a situação.
A todos o meu obrigado por partilharem este espaço comigo



E aqui vai a nomeação:

http://atordoadas.blogspot.com/
http://anjodemonio.blogspot.com/
http://ozeladordaordempublica.blogspot.com/
http://saberebom.blogspot.com/
http://lopesca.blogspot.com/
http://nimbypolis.blogspot.com/
http://isabelfilipeartdesign.blogspot.com/

Depressão pela manhã

Esta manhã
Tenho a cabeça oca
Apatia se apodera
Nada me apetece,
Nada me satisfaz
As ideias não afluem
Sinto-me incapaz
Paro, não paro
Faço, não faço
Preocupação
Estou confuso
Revoltado contra mim
Ou não estou em mim
Isolei-me das coisas
Do mundo, das pessoas
Depressão
Paro, não paro
Isolado
Silencio neste quarto
Ao longe ouve-se um rádio
Não se distingue a musica
Pouco importa
Podia ligar o rádio a televisão
Nada
Tento vencer a solidão
Tanto que fazer
Um livro para ler
Um trabalho para acabar
Outro para começar
Inquietação
Sinto-me que imobilizado
Paralisado de vontade
Esta letargia por vencer
Vou escrevendo devagar
Levantar o astral é preciso
Lutar contra nós próprios
O nosso eu, amigo / inimigo
Batalha a conquistar
Homem outrora activo
Esta situação é indesejável
Sem bem objectivos definidos
Horizontes, trabalho e muito mais
Depois de uma noite invernosa
Um dia de sol se apresenta
Outras horas outros dias virão
Chuva, vento e sol se aguarda
O mundo também é tudo isto
A vida tem altos e baixos
Derrotado não vencido
A depressão há-de passar
A alegria de momentos bons voltará
Outros dias, outros sois brilharam

2008-10-20

Provérbios - Ditos de A a G

Esta semana vamos iniciar com mais uns provérbios seleccionados (em conjuntos de três por letra) que se prolongará por mais 3 dias assim temos de A - G ; H - O ; P - Z e assim termina esta fase.


Os ditados velhos são evangelhos
Para lembrar, reflectir ou meditar
Aqui ficam alguns destes provérbios
Façam deles o que mais lhes agradar


A rico não devas a pobre não prometas
A cão mordido e homem abatido todos molham a sopa
A justiça tem sete mangas e cada manga sete manhas

Bem parece a guerra a quem está longe dela
Bem prega quem vive bem
Beleza sem bondade não vale nada

Caminho trilhado não cria erva
Cada um sabe o sapato que lhe aperta
Cem amigos é pouco, um inimigo é muito

De rico a soberbo não há palmo inteiro
De ruim homem e dissimulado, guarda-te dele como do diabo
Dinheiro emprestado parte a rir, volta a chorar

Em mesa redonda não á cabeceira
É bom ter amigos até no inferno
É melhor dizer “bem fiz eu” do que “se eu soubesse”

Faça-se o milagre, embora o faça o diabo
Falo em alhos, respondem-me em bugalhos
Foge de contas com parentes e de dívidas com ausentes

Gente baixa só tem olho no interesse
Gato que nunca comeu azeite, quando come se lambuza
Guarda-te do homem que não fala e do cão que não ladra

2008-10-18

Sonhos

Sonhos
Capacidade humana
Fantasia do homem
Sonhos
De alegria e tristeza
De dor e prazer
Utopia desejada
Sonhos
A dormir ou acordado
Simplesmente sonolento
Despertar em sobressalto
Sonhos
Medos recalcados
Mundos recriados
Desejos ambicionados
Sonhos
Angustias e choros
Sufocos e asfixia
Grito rouco sufocante
Sonhos
Vitórias, e contentamento
Torturas que atormentam
Sonhos
Vivendo a arte de levitação
Voos altos e rasantes
Personagens multifacetadas
Sonhos
Situações divergências
Cores e movimentos
Percursos erráticos
Sonhos
Paisagens esculpidas
Cores e movimentos
Mundos de encantar
Sonhos
Prazeres eróticos,
Luxúria e opulência
Volúpia e pecados
Reflexão de espiritualidade
Sonhos
Coisas estranhas fantasmagóricas
Clareza e escuridão
Tempos outrora vivido
Rostos familiares desaparecidos
Sonhos
Onde a mente se transforma
Espaço e tempo se confunde
Um segundo, uma vida
Sonhos
Emoções contradições
O sonho é tudo e é nada
Vai e vem num apêndice
ou uma eternidade

Bons e maus sonhos ….mas que o homem continue a sonhar.

Bons sonhos e bom fim de semana

2008-10-16

Provérbios populares tão actuais

Ao tentar (digo tentar pois não os acabei de arrumar) arrumar e limpar
uns livros deparei-me, com um que me chamou a atenção “ Provérbios Portugueses” de António Moreira da Noticias Editorial.
Esta compilação de provérbios me deixou encantado ao verificar tão actuais eles são, para o momento de crise que atravessamos, seleccionei uns quantos que aqui vos deixo :
Façam um exercício mental e descubram a quem ou a que situação se pode aplicar cada provérbio.

Tentei fazer um pequeno exercício, utilizando alguns dos muitos provérbios populares portugueses, tendo como principio a ordem alfabética e que tivessem um seguimento. Vejamos o que resul
Agora façam um exercício mental e descubram, onde se identifica, a quem, ou a que situação se pode aplicar cada provérbio.


-Aonde não há virtude não há honra
-A corda rebenta sempre pelo mais fraco
-A gente ganha dinheiro, mas o dinheiro não faz gente
-Arde o verde pelo seco e paga o justo pelo pecador

-Bem prega quem vive bem
-Barriga vazia não conhece alegria
-Buraco velho tem cobra dentro
-Bom governo vale mais que boa renda

-Calar a verdade é enterrar ouro
-Com a coisa alheia, o homem mal se honra
-Com os grandes ladrões se enforcam os menores
-Com uma bolsa ao pescoço ninguém morre enforcado

-Dinheiro não deita cheiro
-Das águias não nascem pombas
-Do focinho de cão não se tira manteiga
-De bons propósitos está o inferno cheio e o céu de boas obras

-É leve o fardo, no ombro alheio
-É má a ave que seu ninho suja
-Em cada parte há bocado de mau caminho
-É tarde para economia quando a bolsa está vazia

-Fianças e confianças têm arruinado muita gente
-Fraqueza é dar ajuda ao mais potente
-Gente baixa só tem olho no interesse
-Governador cobiçoso, faz desvergonhada a justiça

-Homem mentiroso, larga a honra a pouco preço
-Hoje mais se toma o pulso ao ter que ao saber
-Homem vergonhoso, o demo o trouxe ao paço.
-Há casos que podem mais que as leis

-Ignoro se me insulta ou se pode para as almas
-Idade e experiência, valem mais que adolescência
-Julga pelas acções e não pelos dobrões
-Juiz piedoso, faz o povo cruel

-Lá vão leis onde querem os cruzados
-Liberdade sem juízo é pólvora em mãos de menino
-Ladrão que não é apanhado passa por honrado
-Ladrão endinheirado nunca morre enforcado

-Mais vale a fama que dourada cama
-Muito prometer é espécie de negar
-No mundo quem nada tem nada é
-O dinheiro é a medida de todas as coisas

2008-10-12

Noite tranquila

Beberei por ti e contigo
Comerei do mesmo pão
Dormirei na mesma cama
Aconchegada será a união

No remanso do quarto
Na quietude da noite
A felicidade se espelha
Nos corpos entrelaçados

Ao despertar encontrou
No quarto o sol a brilhar
A mulher com que sonhou
A musa inspiradora e amada

Num lindo cálice de ouro fino
Corre vinho de deuses produzido
De um gracioso copo de cristal
Jorra água pura e cristalina

No céu resplende-se as estrelas
Do mar a calmaria do seu reflexo
Da terra brota um perfume adocicado
Nos corpos nus paira a tranquilidade

2008-10-09

SELO Prémio Dardos

Recebido de BARLAVENTO
Informações sobre o Prémio Dardos
“Com o Prémio Dardos se reconhecem os valores que cada blogueiro emprega ao transmitir valores culturais, éticos, literários, pessoais, etc. que, em suma, demonstram sua criatividade através do pensamento vivo que está e permanece intacto entre suas letras, entre suas palavras.
Esses selos foram criados com a intenção de promover a confraternização entre os blogueiros, uma forma de demonstrar carinho e reconhecimento por um trabalho que agregue valor à Web.
Quem recebe o “Prêmio Dardos” e o aceita deve seguir algumas regras:
1. - Exibir a distinta imagem;
2. - Linkar o blog pelo qual recebeu o prémio;
3. - Escolher quinze (15) outros blogs a que entregar o Prémio Dardos.”

Repasso por mérito e por amizade para:
A RECALCITRANTE - Meg
aArtmus - Mateso
adrianeites
anjoedemonio - maria ines
Art & Design de Isabel Filipe
FERNANDA & POEMAS
LopesCa
Mariazinha
MentesSueltas
NimbyPolis - Nilson Barcelli
O Cheiro da Ilha - Maria
O Guardião
O PROFANO
O zelador da ordem pública
Zé Povinho


2008-10-08

Um novo espaço

Abri um novo espaço, em especial a pedido dos filhos e também porque concordei com a sugestão para afastar o trigo do joio, ou seja não misturar aquilo que pode ser bom, e belo. Pelo que de um modo geral é porca e suja como essa politiquice que vai por este mundo fora, assim como injustiças, aberrações, e outras situações.
Assim o novo blog “POLITICA DA CACA” este espaço será uma consciência cívica que louvará o que for bom (infelizmente tão raro) e criticará o que é mau. Em especial o que se passa neste país que é Portugal e que amo, mas também pelo que se passa por esse mundo.
Aqui poderá ser postado artigos que não serão da minha autoria mas devidamente identificados quando assim fora.
Será um espaço de sátira, critica , e mal dizer.... mas também de bem dizer quando se justificar.

2008-10-07

Equivocos

Equívocos persistem neste mundo
Libelos acusatórios sobre inocentes
Lutas de vida e morte se unem
Verdade e mentira se confundem

Igualdade de oportunidades
Teorizado pelos poderosos
O humilde passou incógnito
A prepotência de tudo se apodera

Perfídia se transforma em traição
Revolta incontrolável se apodera
O poderoso amesquinha o povo
A desgraça do fraco é condição

A avareza ambição ganância
A mesquinhez usura e muito mais
Moral, honestidade não existe
O dinheiro sobrepõe-se á humanidade

2008-10-03

Planeta “Terra”

Para desanuviar das tempestades causadas pelos gananciosos banqueiros, e outros sem escrúpulos, que com o dinheiro de todos gozaram. , como numa autentica mesa de casino.
A todos votos de um bom fim de semana.


Predilecto planeta Terra, quanto belo
Bruto, Selvagem, agreste talvez
Violento aterrador poderoso também.
Há quem olhe a pureza com desdém.

Ventanias tempestades terramotos,
Forças inevitavelmente poderosas
Que ninguém o consegue demover.
Calmo, magnifico esplendoroso

Perfumada, colorida cheia de sons,
Harmoniosa sinfonia ou tela de pintor.
Nada existe de mais belo e natural
Excede tudo que o homem pode criar

Os desenhos e cores das areias
Surpreendentes figuras esculpidas
Luzes, ilusões cores agitadas
Plantas infinitamente variadas

Estranhas paisagens marinhas
Esplendor e perigos se confundem
Mundos e mundos por descobrir
Neste planeta que é o nosso

Depois surge o reino animal
Quem o habita seres graciosos
Elefantes, girafas e outro tantos
Seres magníficos cheios de vigor

Nos céus, entre nuvens passageiras
Falcão, condores e águias-reais
Até no campo na vila ou cidade
Andorinhas e pombos nos beirais

Nos mares e oceanos profundos
Baleias golfinhos e o terrível tubarão
Toda uma panóplia de criaturas
Raras, desconhecidas outras não

Tartarugas envelhecidas, duradouras
Borboletas esvoaçantes breves e bizarras
Arvores verdejantes ou plantas mimosas
Frutos variados apetitosos paladares

O futuro do planeta a todos pertence
A vida das espécies e sua renovação
Cuidar da Terra hoje para os vindouros
Ecologia, não em palavras mas em acção.

2008-10-01

Será só colapso financeiro ?

A honradez e a moral nos dias de hoje encontram-se muitos desvalorizados, o poder do dinheiro e da política sobrepõe-se a tudo, por isso não é de admira a crise pela qual passa o mundo. Os ricos querem cada vez ser mais ricos, mesmo que para isso os pobres fiquem cada vez mais pobres, moral é sentimento que não existe neste senhores do dinheiro
Vejamos os grandes administradores e gestores, os ditos senhores banqueiros e seus correligionários políticos, andaram durante anos e anos a acumularem fortunas a estender o seu poder e monopólio, dinheiro alheio, cada relatório de contas revertia em grandes bónus, em valores pelos objectivos alcançado, e assim era um soma e segue, se entretanto eram afastados ou reformados lá ião valores salariais e mordomias que alguns conhecem e muitos mais lhes passa pela cabeça O dinheiro aparecia pelo menos em contabilidade e com as novas tecnologias lhe creio que mais lhes facilitava a vida e assim continuou durante anos, e provavelmente continuará.
Começa-se a descobrir o lamaçal, o pântano em que estes senhores controlavam as situações e aparecem os anjos da guarda arautos das virgens virtudes pois que muitos bancários nem sabiam os negócios que administravam, se algum tolo acreditar, mesmo assim só se pode tirar uma conclusão, das duas uma, ou só era administrador para assinar os seus cheques e dos seus ilustres colegas de administração (ou será comparsas) ou como sempre nos falsos lideres, a culpa é sempre dos subalternos a chamada mas quem paga sempre a factura é a classe trabalhadora é o povo.
O neo-liberalismo de mercado é uma treta, é a invenção de algumas para prejudicar muitos
O mundo de negócio global ou o domínio das multinacionais é ou será a máfia de uns tantos, pois apoderam-se de mil e uma empresas, são os senhores e tudo controlam, economia, politicais, e governos. Quando as coisa correm mal por má gestão ou por causas imprevisíveis ou factos da natureza, aparece o descalabro, é como um castelo de cartas que se desfaz, as pedras do dominó por eles contida vão caindo uma a uma e com isso arrastão muitos e muitos inocentes e vitimas.
O mundo do mercado livre, é só para os teóricos, pois nos livros tudo é perfeito, mas o essência, o principal de todas as conjunturas é o Homem e este não é perfeito por isso tem de existir controlo, com conta peso e medida
O egoísmo dos capitalistas é defensor do liberalismo selvagens só deve de existir para o grandes lucros e poderes económicos, mas, quando toca a desgraças ai Jesus, e venha o Estado com o dinheiro dos pobres contribuintes salvar o prejuízo, e o que se estar a passar nos EUA
E o que vemos nós por cá, o mesmo que por lá a haver muita poeira, muita tinta e blá blá os governantes a dar o dito por não dito a discutirem outros assuntos menos relevantes para a economia do país, uns comentadores a favor outros contra, como neste momento estamos muitos de nós. E de concreto nada.

Qual a responsabilidade dos grandes administradores, Presidentes, Directores, gestores Fala-se da crise e dos seus problemas e esquece-se ou branqueia-se a responsabilidade dos causadores, é sempre e assim. Gerentes e gestores fazem burrices, trafulhices, e outras coisa menos bonitas e quem paga! Os trabalhadores, (encerra-se a empresa) as dívidas muitos ficam á arder, incluindo o estado.
Continuam a fazer a sua vidinha a gozar dos bens usurpados, sendo fácil de os encontrar em boas casas com piscina, bons automóveis, continuando ser gente respeitável onde nunca se viu um único a passar fome, a recorrer ao auxilio dos familiares amigos, ou mesmo dos vizinhos para um prato de sopa para os filhos, mas sobre trabalhadores despedidos muitos viram e vêem esta miséria.
Para estes respeitáveis administradores, gerentes, donos, os governos ou governantes vem dar uma ajudinha, em nome da economia de mercado.

Qual destes anúncios nunca são publicados, e qual deles é falso?
Toda esta questão das bolsas e bancos tem deixado o mundo meio doido, os Gurus da economia mundial, mantêm calados.


a)
Um homem faz um assalto a um banco, não causa vítimas, mas rouba 100.000 Dólares


Bandido procura-se
MORTO OU VIVO
b)
Um trabalhador deixou de pagar o empréstimo da casa, que pelo próprio banco foi subvalorizada, com tanta publicidade fez questão em efectuar o empréstimo

Família desalojada de sua casa
A viver na rua, esteja sol ou chuva
c)
Administrador de um banco demonstra incompetência, faz inúmeras vitimas quer directa ou indirectamente, reformados, pessoas a quem lhe confiaram o dinheiro

Administrador de banco reformado
com grandes mordomias e salários
Enquanto vivo encontra-se jogando golfe

d)
Magnata da banca leva um banco á falência, prejudica o banco em milhões de dólares
Causando elevado número de vítimas, prejudica o seu país e muitos outros


Vítima do mercado mundial
Retira-se para a sua mansão
Onde pensa residir enquanto
Vivo, e no mausoléu depois de Morto

e)
Gestores financeiros levam bancos á ruína e consequência falência
Causando um sem numero de vitimas a nível mundial


Não se procuram, colabora-se.
Impunidade enquanto Mortos ou Vivos
Encontram-se bem instalados na vida

O Estado retira dinheiro dos impostos dos contribuintes, e repõe a situação, não se sabe até ao momento se com os mesmos gestores.


E a terminar, não me perguntem como resolver a crise, pois também não foi eu que a criei ,mas sou uma vitima como todos nós.

E assim vai o mundo.

2008-09-29

Tragam os nossos mortos

Eu estive lá, nas ditas províncias ultramarinas, colónias e sei de muitas mortes de amigos desaparecidos e sem destino. Não fugi, para o estrangeiro, fui não fui herói, não matei ninguém, Outrora combatentes passaram a assassinos, os ditos “ turras passaram a heróis e até tem direito a nomes de ruas em Lisboa como Amílcar Cabral, Agostinho Neto e tantos outros, os nossos militares e até muitos cíveis, são esquecidos
A culpa é só uma, a dos políticos, quem acredita nos governantes, hoje dizem uma coisa amanhã outra, o povo é que paga.
Ia-se para Angola, Guiné e outros territórios partes porque eram obrigados (e deixem-se de lérias), não discuto que a independência dada a esses povos é justa ou não, recrimino somente os governantes. A acuso todos os governantes antes e depois do 25 de Abril
Presentemente os militares vão para o estrangeiro a maioria voluntários, para amealhar, como acontecia no antigamente em que o pessoal do quadro fazia comissões e comissões de serviço, e na maioria das vezes refugiavam-se nos quartéis, em Luanda era vê-lo no Quartel general, comissão atrás de comissão, os ditos voluntários milicianos e tropa “carne para canhão” , dava no duro.
Agora tem despedida com musica e fanfarra, quando um acidente, que todos lamentam, é um drama, noutros tempos, vinham muitos caixões pela calada da noite, eram descarregados na Rocha de conde de Óbitos, não contando com os que lá ficaram mortos, e tantos e tantos mutilados deixados ao abandono.
Muitos dos deputados vieram desses territórios, mas souberam-se instalar bem á custa de muitas facilidades enquanto o cidadão comum, anónimo nada teve do estado. (porrada e coice)

Quem acredita nos governos e nos governantes hoje é uma coisa amanhã é outra. Este mundo anda todo ás avessas e quem se lixa é o mexilhão

Nada tenho a contra os novos países africanos, fiz amigos lá e alguns ainda mantenho, uma coisa é a amizade das pessoas outras a politica

A assembleia que cumpre o seu dever dado que outros não o fizeram em nome do Estado Português, (mesmo que contrariados) e tragam para cá todos aqueles que de um modo foram obrigados ou por dever morreram em nome da Pátria.

2008-09-27

Não ao abastecimento de combustivel

só musica


Eu hoje não vou a nenhum posto de abastecimento de combustível ...

e você ? .... espero que também não

Hoje sábado não abasteça o seu carro de combustível

Todos juntos somos a força

2008-09-25

Petição para resgates dos mortos nas ex-colonias


Exmo. Sr. Presidente da Assembleia da República Portuguesa,
As cidadãs e cidadãos abaixo assinados pretendem que o Estado Português cumpra o dever patriótico de trasladar para Portugal – para as suas terras de origem, de onde partiram para a Guerra do Ultramar / Guerra Colonial - os restos mortais dos Combatentes que morreram ao serviço da Pátria e ficaram enterrados em campas espalhadas pelos antigos territórios ultramarinos.
Assim, e ao abrigo do Decreto-Lei nº. 43/90, de 10 de Agosto, com as alterações que lhe foram introduzidas pela Lei nº. 6/93, de 1 de Março, pela Lei nº 15/2003, de 4 de Junho e pela Lei nº. 45/2007 de 24 de Agosto, subscrevemos o requerimento, proposto pelo “Movimento Cívico de Antigos Combatentes”, a enviar à Assembleia da República para:
1 – Que seja decretada a trasladação para Portugal dos restos mortais dos militares mortos e abandonados em terras africanas, em cumprimento do mais elementar desígnio das nações civilizadas e para dignificar a memória dos que morreram ao serviço da Pátria.
2 – Que esses restos mortais sejam trasladados para Portugal, entregues às respectivas famílias e/ou depositados junto do Monumento Nacional aos Combatentes, em local apropriado e digno.Até esta situação estar resolvida, as Comemorações do 10 de Junho – Dia de Portugal e das Comunidades - continuarão ensombradas pela ausência daqueles que, lutando sob a bandeira de Portugal, por ela deram o sacrifício máximo, a própria vida.
Apoiam esta Petição, além dos subscritores da mesma, muitas associações de Antigos Combatentes e outras Instituições.
Se estiveres de acordo com o assunto desta petição, por favor ajuda na sua divulgação, colocando no teu blog, site ... enviando para os teus contactos. Clica na imagem e assina. OBRIGADA


Petição para o Resgate para Portugal, dos Militares Mortos na Guerra do Ultramar/ Guerra Colonial. Pfvr. Clica e assina. OBRIGADA.

2008-09-22

Um novo amigo, Roy

A família aumentou, com mais um membro este de 4 patas, que já se está a tornar um amigo inseparável.
Sem querer acabamos por adoptar um cachorrinho, caniche com cerca de 2 meses, mas aqui vai a historia
Um familiar, convidou-me para ir até á zona da Chamusca, onde tem uma casa, sendo um dos objectivos encontrar a tal casa rústica pretendida, assim tinha a indicação. Acontece que também tinha uma surpresa, irmos ver uns cachorros: A minha esposa disse logo que não, já chegava de animais, mas fomos, então deparamos com um quadro tão mau, tão mau, que não resistimos.
Uma velhota com cerca de 80 anos, tem um casal de caniches que tiveram duas crias, e pretendia dar, ou matar pois não tem posses, nem possibilidade de tratar dos animais, estes encontravam-se em estado deplorável, cheios de bichos mal tratados, a viverem num barracão sem as mínimas condições. Então a minha esposa que não queria mais animais, não resistiu e foi a primeira a dizer que sim, que ficava com o cachorro, uma cachorrinha veio com a minha prima para dar a uma pessoas que já tinham dito que ficavam com ela, enfim foi o que se costuma dizer um golpe baixo, pois era necessário tirar aqueles animais daquele local, e foi assim que aumentamos a prole de animais: não encontramos a casa que pretendia, encontramos mais uma companhia aqui para casa.
Alem de termos, o Ace um cão de raça huski siberiano, temos o Patinhas um gato rafeiro, mas querido, alem de alimentar mais de meia dúzia de gatos da rua, Assim agora é apresentado o caniche Roy, Roy com dois meses de idade
Viemos com o cachorro sendo a primeira paragem no veterinário onde procedeu á primeira vacina, desparasitaçao interior e exterior e depois foi para casa e proceder á operação de limpeza, com toalhetes húmidos dado que não poder tomar banho
Passados ainda não 2 semanas e já parece outro, aqui vos deixo imagens do Roy Roy



Uma semana depois, o companheiro Roy

Agora é assim , já junto da familia

No dia que chegou e após a 1º limpeza, pois estava muito pior
Primeira comida , após 1º limpeza






































































2008-09-18

Flavia e Odele

Pequena e simples homenagem a uma família, que como tantas outras sofrem, e que pedem justiça , fiscalização e cuidados redobrados para que tais acidentes não acontecem por esse mundo fora .


Uma jovem vitima incapacitada
Por incúria e lucro aconteceu
Ninguém assume responsabilidades
A Flávia e a família é que sofreu

Jovem moça cheia de vida
Que num dia na piscina entrou
Mergulhos brincadeiras, alegria
Até que a tragédia a marcou

Acidentes estúpidos existem
Tal situação não devia suceder
As entidades também têm culpa
Que deixa uns tantos, tudo fazer

A desgraça no lar outrora feliz
Numa cama inválida se encontra
A justa luta, na burocracia emperra
Forma de justiça a ser encontrada

Aconteceu no Brasil como em Portugal
Independente do país ou a localidade
As tragédias se multiplicam, é universal
Alerta a todos vamos acabar com o mal

Responsabilizar os prevaricadores
Sensibilizar os governantes é essencial
Mobilizar as pessoas em toda a parte
Cuidado, piscinas, perigos a perscrutar

Numa campanha de solidariedade
Tentar dar um pouco de conforto
Flávia em coma, Odele destroçada
Que se faça justiça, tão simples, …mais nada.

2008-09-16

Justiça seja feita

JUSTIÇA PARA FLÁVIA
E PARA TODAS AS OUTRAS VITIMAS INOCENTES
Que a justiça dos homens acompanhe a justiça de Deus
Recomensa-se visitar:

2008-09-12

Homem

Homem
Caminha, caminhando.
Hirto no seu passo,
Sobre o peso da rectidão
Atormentado nos pensamentos
Fustigado pela inveja
Bajulado pelos falsos amigos
Aplaudido pelos desconhecidos
Pelos amigos é louvado
Com os inimigos, muito é odiado

Homem
Caminhando caminha
A noite se transforma em madrugada
Com o dia a esperança renasce
A tarde em desilusão se desvanece
Qual madrugada cheia de pensamentos
Na negrura os vultos se igualam
Qual multidão de fantasmas errantes
O pecado e a luxúria moram ao lado
Decência e honradez vivem á míngua

Homem
Caminha caminhado
O sol ilumina com intensidade
Pintura de muitas cores entrelaçadas
Danças de sombras e reflexos
Num conjugar de mil riquezas
Deslumbramento cegueira fascinação
Ambição, língua traiçoeira como arma
Transparência honestidade é derrubada
Trabalho suor e lágrimas são o fruto.

Homem
Caminhando caminha
Castrado pela vida que não quer
Ferido pelo vil metal desaparecido
Magoado pela falsidade dos homens
Ofendido na palavra proferida.
A si próprio olha, e não se reconhece
Repensar a sua existência é vital
Na passagem efémera desta vida
O futuro da humanidade lhe pertence.

2008-09-07

Caminhante

Águas percorrem o corpo
O calor fustiga as entranhas
Dos olhos vertem queixumes
Dos lábios um sorriso de dor

Os pássaros se silenciam
A voz da solidão se manifesta
Como estátua de pedra
Num subterrâneo impenetrável

Sentido de pecados confessos
uma profundidade introspectiva
Personagem aparentemente comum
A pedra deixou de ser dura e fria

Olha, pedaço de granito esculpido
Barro moldado por ásperas mãos
Aço em fornalha trabalhado
Folha em branco por desbravar

Percurso, frágil quantas vezes
Solitário persegue o vento
Caminhos desertos trilhados
A mente toma a forma da razão

Pena leve e suave sobre papel
A terra árida será então lavrada
Ondas alterosas fustigam o cais
Pedra- diamante será lapidada

2008-09-01

Exigir saber Comp. Aerea a viajar

Saber em que Companhia Aérea viajamos, um direito que nos assiste.


Tenho feito algumas viagens, e como os recentes acontecimentos alertou-me para uma situação que julgo deveria ser resolvida rapidamente, e que pelo menos na próxima época de viagens fosse definitivamente esclarecido.
Assim peço a atenção de quem de direito, e exemplifico:
Quando vamos a uma agência de viagens, independentemente desta, o que conta é o operador de programas, assim ao fazermos escolha de um determinado pacote, e de acordo com esse operador que caiem as responsabilidade, será isso completamente verdade, bem quando as coisa correm elo melhor ficam todos contentes, a agência e o operador o cliente nem sempre, ou pelo menos a 100%.
Vamos a determinada agência, escolhemos o programa, o país, o local, o hotel, o modo de viajar, mas se formos de avião, e aqui é que está o buzis, ou a questão do problema, não escolhemos a companhia área em que voamos, salvo quando o programa é com voos, regulares,
Para todas as situações devia ser esclarecido este ponto, qual a companhia aérea que está contratada para determinado pacote ou programa de viagem, de modo geral direi mesmo sempre, nunca sabemos.
Esta situação devia ser corrigida por legislação, pois só s assim se consegue corrigir situações indefinidas, e prejudiciais ao cidadão. Deveria ser obrigatório o cliente saber em que companhia vai viajar.
Quando se compra um pacote de férias, e como muitos de vós tem essa situação, não sabemos em que companhia viajamos, Já tenho tido também essa experiência,
E deparamo-nos desde o mau atendimento a bordo, até a péssima comida, não contando com problemas de horários. Algumas dessas companhias e que não vou mencionar os nomes para não alegarem má publicidade ou má vontade, mas a verdade é que felizmente não tenho viajado mais que uma ou duas vezes numa dessas companhias de aviação, que em nada me agradaram, pura sorte talvez, mas felizmente nos aspectos mecânicos nada ocorreu., as a nas situação que somos colocados dificilmente é recusar a viagem depois de paga e tudo o mais programado, esperamos sempre que tudo corra pelo melhor
Mas a verdade é que só do voo, qual o numero e qual a companhia, com dois ou três dias de antecedência quando pago a totalidade e me é entregue os bilhetes, ou só quando estamos a entrar no avião, pois nem todas as pessoas conhecem os códigos das companhias aéreas, e que assim vai na companhia que lhe dão sem escolha possível.
Afim de aumentar a qualidade, como é evidente o bom serviço faz sobressair os melhores e eliminado os que não prestam um bom serviço e independentemente os operadores tem de ser forçados pelos clientes a fretarem as melhores companhias.
Conforme os preços de viagem tem de indicar o valor total assim deveria ser obrigatório sabermos, não só a agência de viagens, o operador que realiza o pacote, o hotel como a companhia aérea quem que vamos viajar, depois a opção é de cada um.
Estas contratos de viagem, dado que um contrato se trata deviam cada vez mais se o mais claros possíveis até porque se verifica que existe muitas companhias de baixo custo, ou de sub- aluguer que nem sempre operam nas melhores condições e o publico tem de saber com o que conta., e fazer as suas opções: temos o direito de saber com o que contamos e na maior partes das vezes nem as próprias agências de viagem sabem quem é o operador aéreo.
Devíamos e aqui o faço, solicitar aos governantes para que alteram esta situação que penso estarmos todos de acordo, pelo que exigimos transparência nestas transacções.

2008-08-29

Dia de festa

Hoje é dia de festa
Das Primaveras passadas
Dos Invernos sofridos
Dos Outonos angustiados
Das alegrias de Verão vividos.
Convido os todos os amigo e amigas visitantes a partilhar este bolo comigo, durante mais alguns anos (um de cada vez) – C. Valente

2008-08-27

Caminhos

Percorrendo a calçada

Entre obstáculos que se deparam
Por onde os ventos nos leva


Caminhando pela praia de calmaria

Olhando o horizonte
Na esperança de encontrar

Um momento mágico.

2008-08-15

Por uma boa causa

Blogagem Colectiva para Flávia em 9/Set/2008

Feriado e fim de semana é de aproveitar

Estamos num fim de semana alongado, (feriado sábado domingo, que sorte) . Não é para dias de politica, de miséria do mundo, de tristeza ou de pensamentos profundos, mas de descanso, descontrair estar com quem gostamos.
Comer, beber e conversar amenamente, ler um bom livro, desfrutar da sombra de uma árvore, refrescar com um mergulho na praia, ou andar ao sabor das ondas, ou se preferir uma boa caminhada. Tudo boas opções
A para abrir o apetite aqui vos deixo com votos de tempo bem passado.



Foto do autor- C. Valente - Uma entrada de polvo e ovas

Foto do autor C. Valente - Para uns, uma boa sardinha assada


Foto do autor C. Valente - Para outros, uma açorda de marisco

Vinhos, sumos, sobremesas e café, cada um pede para si. Bom fim de semana a todos

2008-08-12

Carta - Quero ser "coitadinho" e não "estupido "

Esta missiva destina-se aos governantes, aos que foram, aos actuais e aos futuros, aqui vos deixo um pedido,
Eu cidadão português dos quatro costados, na minha arvore genealógica foram e são todos nascidos e criados em Portugal , desde transmontanos, a aveirense, gentes da terra e do mar,
Pretendo renunciar á classe maioritária deste país, quero ser “coitadinho”, porque:

- Quero pertencer a uma minoria étnica, seja de que cor for, branca, preta, amarela morena, ou até mesmo branca, desde que seja incluído na categoria de “ minoria”
- Quero ser declarado pobre, não apresentar declarações de IRS segurança social, ou mesmo IRC, mesmo que seja considerado vendedor de mercados ou ambulante.
- Quero que para a acção social seja considerado que não tenho meios de subsistência, nem que para isso tenha de ameaçar os assistentes sociais, para assim que assegurar as condições para obter o rendimento social mínimo.
- Quero não trabalhar, passar a vida, nos cafés outros locais para obter o o apoio e subsídio de rendimento
- Quero que o meu vício, seja considerado uma doença, podendo beneficiar de apoios e outros tratamentos e ser desculpabilizado por má acções

- E quero ser um destes “coitadinho como não sou estúpido para :

- Obter habitação sem pagar renda, num local condigno, Onde possa estacionar o meu carro (não contando com a carrinha da venda
- Obter as mínimas condições, ter água e principalmente electricidade em condições, sem que seja obrigado a pagar a conta, para poder instalar o meu plasma, a minha aparelhagem estereo, os televisor da cozinha, o LCD no quarto, e outros pequeniníssimos luxos, que sei que a maioria dos ditos pagadores de impostos não tem.
- Se não for suficiente o anteriormente pretendido sempre argumento, mesmo que atrasado que quero ser considerado ter vindo das ex-colonias, pois fui obrigado (por estupidez minha ) de cumprir o serviço militar, e hoje sou rotulado de assassino do povo. Devo dizer que ganhava uns míseros escudos e não fui voluntário.
- Quero beneficiar das isenções fiscais
- Quero poder estragar propriedade do estado ou outra identidade sem ser incomodado, roubar e ser considerado um herói.
- Quero, se for preso, por azar, ser bem tratado, poder durante o dia passear, e ou cometer outras tropelias (claro até não seja apanhado) e á noite ir dormir á prisão.
Já agora o regresso deverá ser livre entre as 19.00H e as 24.00Horas, pois se for cedo ter direito ao jantar e depois ver televisão, que deverá dar belas imagens dos que estupidamente foram apanhados dado que a policia deveria ter outras coisas com que se entreter, ( passar multas, em especial a quem cumpre)

E o parvo sou eu? - Não

Continuo a informar so governantes, actuais e futuros, políticos e partidos em geral, e deputados em particular.
Como sou daquela maioria, classe media, trabalhadora, o pouco que tem deve-se ao esforço, do trabalho, das economias, dos anos sem férias, chame e pelo que hoje vejo estou farto.
Os “chicos” espertos, oportunistas, democratas de ocasião e outros que estão bem na vida, e que nada lhes incomoda,
Nada disto tem haver com racismo, xenofobia seja cor da pele ou raça sim com a pretensão JUSTIÇA IGUALDADE, para todos, DEVERES E DIREITOS.
Eu solicito, suplico, imploro, e mais que for possível, eu e creio a maioria dos portugueses, que seja revisto toda esta situação e a mesma seja corrigida, pois não quero continuar a pertencer á maioria, dos brancos, pretos ou outra cor, onde a raça e a religião não se confunde, que todos têm em comum, ser cidadão exemplares e cumpridores.

Não quero ser estúpido por:

- Cumprir com os meus deveres de cidadão
- Pagar regularmente os meus impostos
- Pagar á segurança social ou ao estado
-Cumprir com as regras da sociedade
- Cumprir e respeitara propriedade alheia

Eu é que sou parvo ou estúpido? - Sim sou

Tenho o direito de protestar:
- Querer viver num país que todos sejam igual perante o estado independentemente da condição social, credo, etnia ou raça,
- Querer viver num Portugal que tenham todos os mesmos direitos, e as mesmas obrigações, sem restrições ou subterfúgios
- Quero continuar ser português, de amar a minha pátria, respeitar a minha bandeira.
- Quero um Portugal melhor, e quem não quer,
Responsáveis abram os olhos

Com toda a consideração que é devida e se o meu atendimento não foi aceite, aqui vos deixo a minha vontade.
Com o desejo ardente que não acabem os subsídios aos “ coitadinhos”, que entenda-se são aqueles em que o trabalho faz calos. Que os subsídios e reformas duram sempre para aqueles que nunca descontaram um chavo para a segurança social.
Ma se não houver dinheiro, que acabe os poucos benefícios, na doença e reformas a todos os outros “ os estúpidos” que pagaram e continuam a pagar , pois se as almas iluminadas dizem que o trabalho dá saúde, que trabalhem os verdadeiros doentes

Com a mesma consideração que tem por mim, me despeço
Zé Pagante da Purificação

PS: Desejo passar-me a chamar José Esperto da Vigarice

2008-08-08

Anónimo

Anónimo = nome não assinado / sem nome/ quer não assina o que escreve/ que não se identifica.
Não devemos confundir com autores que são anónimos para alguns mas escrevem
com um heterónimo sendo simplesmente um autor de determinada obra literária com um nome que não não assina com o seu verdadeiro nome

Considero que temos dois tipo de anónimos
Anónimo positivo .- O que se querem manter incógnito, mesmo com procedimentos nobres, mas deseja manter-se oculto quer por timidez, vergonha ou para melhor se sentir livre não pretendendo ser coagido, incomodado por outros. Revela-se quando quer e a quem quer e o merece.
È um pensador livre que não ofende, pois respeita os outros, pode criticar mas do modo frontal e positivo,
Anónimo destrutivo, - Que significa tão somente um obscuro cobardolas, traiçoeiro, sem carácter, fascista em casa , democrata na rua. o em que só se assumo dizendo mal, criticando levantando falsos testemunhos tudo a coberto do anonimato.
Difama, ataca no obscurantismo, pela calada, não tem coragem de assumir as suas posições ( certas ou erradas) não é frontal pelo que não se lhes deve dar crédito.

Á dias aconteceu aparecer um destes vermes, nem se quer sabem ler quanto mais interpretar os outros.
Por esse motivo informo que literalmente estou “ cagando” para este tipo de gentinha que esconde a sua identidade, não se assume, (se tiver um blog deve ser o espelho do mesmo, uma nulidade).

A liberdade permite-nos transmitir o que pensamos e sentimos, mas não o de ofender ou humilhar os outros, mesmo que encoberto com a capa de anonimato.

Desancando nos anónimos negativos, que são os tais seres rastejantes, que não se assumem, não tem personalidade, não tem modo de disfarçar a sua não virilidade, não argumenta, não apresenta sugestões, simplesmente diz mal e ofende.
A melhor forma de os fazer sair da toca, se tiver um pouco de valor é espicaça-los como ás bestas)

Aqui vos deixo um exemplar do que é um anónimo” utilizando o pêlo do mesmo cão que tão bem enquadra no seu modo de ser anónimo
Ao esconder –se atrás de palavras ocas e querer enganar o leitor já que o autor da frase, de certeza , que há muito percebeu que não presta e lhe falta a coragem para se assumir”

Sobre o meu post, não vou justificar-me, comentar, argumentar ou defender-me. Está escrito o que me apeteceu escrever e ponto final.

Assim informo que sobre este tema ,nada mais direi, é o único.
Estou vacinado, haja os anónimos que ouver. e quem não me quiser aqui visitar, passe bem

Os cães ladrão a caravana passa ,

O gastar tempo com essa gente é tempo perdido e por aqui me fico.

A todos o desejo de um bom fim de semana

2008-08-02

Raça humana

Existe mente
Liberdade em movimento
Sentido da grandeza
Desejo confrontado
Memorias recônditas
Imagem ilusória
Loucura ou extravagancia

Existe corpo
Criatividade nutrida
Dor angustiante
Toque sentido
Consolação repousante
Formosura reconhecida
Doçura contida

Existe vida
Desfile inebriante
Marcha cantada
Calor sufocante
Frio enregelado
Musica estonteante
Belas imagens

Existe morte
Ceifeira afiada
Fantasma á solta
Momento inevitável
Simples e única
Lágrimas derramadas
Silencio e pranto

Excessos, loucuras
Perversidade constante
Trabalhos redobrados
Parasitismo flagrante
Desafiando a criatividade
Oportunismo descarado
Podridão imaculada

Prosternar na terra
Convicções de fé
Maledicência e falsidade
Evolução e estimulo
Estagnação e inércia
Amor e ódio
Corpo e cadáver

Paixão amor, ódio e raiva
Raça humana na sua plenitude

2008-08-01

Quem tem vergonha

Uns ciganos andam pela rua, batendo em tudo que era porta, alguém observa e chama-os á atenção, vem um senhora e começa a ralar com eles, descompõem a senhora chamando-lhe “racistas” pois o que eles queriam era saber qual a casa que estava vaga para assim poderem ir morar
Respondem o senhor, que as casa só existe casa vagas mas para alugar, responde rápido o chefe dos ciganos, não importa Câmara Municipal paga.
De amanhã entra numa pastelaria uma mãe de etnia cigana, consigo mais 3 filhos pequenos, vem pomar o pequeno almoço, toca a mandar vir quatro galões, mais uma sandes e salgados e bolos, isto acontece diariamente pergunto ao empregado, claro que sim, (isto de compara um pacote de litro de leite e dar aos filhos dá muito trabalho, alem disso tem os subsidio mais a venda, o pai ficou no carro á espera.) O nosso dinheiro vai dando para tudo, até para sustentar parasitas.
Outros pobres aqui aparecem e contam as moedinhas para um cafezinho, outros tempos, pois a pessoa que trabalhou uma vida inteira só tem direito a uma mísera pensão, qual subsídios.
Depois os outros é que racistas, ou não são, é parvos
Acabe-se com os subsídios -dependentes, que muitos mais não são que parasitas, que não trabalham para não perderem o subsídio, que não pagam rendas porque são raças ou etnias minoritárias do nosso país (apesar de nunca ter contribuído para segurança social ou seja para o que for)
As nossa TVs são um mimo, dá reportagem sobre os coitadinhos daqueles que nada fazem, são “ uma alma de anjos”, e onde a que a policia é um demónio, que bate mal trata por belo prazer, mesmo quando em serviço e faz rusgas. A polícia já sabe, tem de andar com luvas de peliça, e pedir por favor, pois caso contrario são vistos pelas TVs como os maus da fita. Pois o contraditório é coisa que não existe.
Caso da “Quinta da Fonte”, estas pessoas que não pagam uma mísera renda de casa, pois se justiça ouve-se cortava-lhes os restantes subsídios, pois nem com esse dinheiro paga o elementar.
Serve de noticia, que as vitimas “coitadas”, que podem contratar advogados (ai tem dinheiro) , dão-se ao luxo de negociar com as entidades oficiais, de exigiram condições de protecção (também quero um policia na minha rua , pois a minha casa já foi assaltada mais que uma vez) Haja vergonha,
Numa sociedade justa, e séria, com politicas de igualdade perante todos o cidadão, independentemente da cor da sua pele, etnia, raça ou religião Deverá ter direitos, mas nunca esquecer o importante tem a obrigação de cumprir deveres.
Os subsídios são uma regalia a quem muitos dos trabalhadores que não são minorias “palermas” que pagam os seus impostos, rendas cumprem com os seus deveres de cidadãos não tem. O mundo está para os espertos.
Mas o político e muitos que estão bem na vida, que não passou privações gosta de se armar em benemérito, o que se chama “hipocrisia, e demagogia” em vez de racionalidade e justiça. Bonito continuamos bem,
Entretanto e sei que muitos dos ex-combatentes, que tiveram nas guerras por imposição com uns míseros salários passam mal, não tem abrigo, nem subsídios, nenhum governo os acode. O que seria uma elementar justiça (será por não ser politicamente correcto) e esquecer o passado. É bom?
Este é o mundo perverso em que vivemos, “ e como disse alguém “ Quem vale não tem valia, quem nada vale valia tem
Haja vergonha e bom senso, não deixem os preconceitos bacocos de lado, nada tem haver com etnias, com minorias, COM RACISMO, XENOFOBIA, Nada tem haver com ser de esquerda ou direita, do ser ou não politicamente correcto, mas simplesmente com JUSTIÇA IGUALDADE,
Acontece que hoje estou fulo, á muito que não passava pelo Centro Comercial Colombo, e deparei uma cena que pensava já estar ultrapassada, mas pelos vistos é o que continua a dar 3 rapazes e 2 raparigas de raça negra, estavam a incomodar um senhor de já uma certa idade, todos como agora se diz numa boa, quando estavam em maioria era um fartote, mas quando se sentiram ameaçados, passaram rapidamente a vitimas de racismo, Bonito continuamos bem.
Não sou saudosistas nem tão pouco de direita, considero-me um homem de esquerda, (agora já nem sei onde começa a esquerda e acaba a direita, e os extremos, onde ficam). Mas antigamente não havia tantos subsídios, trabalhava-se para sobreviver, agora muitos sobrevivem sem trabalhar, (dizia-se quem quer peixe molha o cu,) hoje quem quer subsídios não se trabalha.
Quem tem vergonha morre de fome, e existe para ai tanta miséria, è necessário que os governantes, políticos, partidos políticos, associações de etnias, de minorias, de racismo e outros que abram os olhos, tomem coragem e actuem em conformidade, que vejam o que o cidadão comum vê, (e que tantas dificuldades encontra no emprego e na vida) Haja bom senso,e termino com três provérbios populares:
Antes minha face com fome amarela, que vergonha nela. (pobreza honrada)
Quem não tem vergonha todo o mundo é seu. ( o descaramento actual)
Não há fome que não dê em fartura. (… e chegamos ao estado actual)