2008-11-02

C.M.Lisboa, Alcântara & Contentores

Quem conhecia a zona de Alcântara mar, nos anos 60 e 70, de facto era zona feia e suja na Boca do Bom Sucesso, que é a parte interior da zona do cais de Alcântara, onde agora estas as famosas docas, local de velharias uma doca transformada em cemitério de barcos, reparações oficinas e armazéns, tudo muito velho, junto ao clube naval. Servia para em miúdo darmos uns mergulhos, mesmo que as águas não eram muito limpas mas nessa altura não era muito importante.
No cais de Alcântara, onde havia sempre grande movimento de chegada e partida de navios da marinha mercante da Companhia Nacional de Navegação e faziam as viagens para as antigas colónias ou províncias ultramarinas, os navios de outras nacionalidades, dos barcos que faziam as viagens para as ilhas, onde vinham carregados de cana de açúcar, em que grupos de miúdos nos juntávamos e íamos pedir pedaços de cana para depois nos entretermos a roer, outros tempos
Lembra-me de facto de existir um enorme porto, onde outrora se encontravam diversos navios em estaleiro, e muito operariado, o funcionamento da Lisnave na rocha de conde de Óbitos
Da zona da Ribeira das Naus até á Alcântara-Mar era uma azafama e muitos navios, barcos de diversos tamanhos e feitios, e estávamos perto do mar, (com muito pouca zona interdita).
No cais de Alcântara ali embarquei como milhares de outros companheiros para as guerras do ultramar, forçado pelos políticos, alguns que hoje negam a sua participação e colaboração com o governo existente, que hoje condenam quando outrora defendiam.
No cais de Alcântara - Mar , onde havia sempre grande movimento de chegada e partida de navios, ai chorei lágrimas de tristeza , de partida, e lágrimas de alegria com a chegada vindo de cumprir o serviço militar obrigatório de mais de 2 anos.
Com a evolução dos tempos e dos anos fizeram na Doca do bom sucesso, a Marina, limparam toda a zona, acabaram com os velhos armazéns e foi transformado em ponto de encontro, bilhete postal da capital com discotecas e restaurantes e esplanadas.
Não se percebe outrora de facto um grande porto, agora uma amostra, mas como é possível a Administração do Porto Lisboa APL continuar a dominar e ter autonomia em toda a zona ribeirinha, e quando muita dessa zona devia segundo a minha opinião passar para o domínio da Câmara Municipal de Lisboa, é a mesma câmara que devia proteger e melhorar as condições de acesso ao mar criando zonas lúdicas, que resolve de forma pouco clara e transparente criar um corredor de contentores,
O problema como alguns querem colocar não tem haver com a altura, sabemos que cada contentor terá cerca de 2,5 m de altura, se empilharem 5 ou 6 teremos uma altura de pelo menos 3 andares, é certo, mas mesmo que só existisse (que não nunca seria verdade) um só contentor teríamos uma altura de 3m, continuando a vista a ser tapada, mesmo para quem passe de automóvel, mas o mais importante e nisto há sempre um mas. A zona a ser instalados os contentores será uma zona interdita, em que o cidadão ou visitante não tem acesso, (ninguém vai colocar uma esplanada entre contentores, só por graça) o que irá acontecer é que termos todo um corredor vedado, como é normal nestas áreas.

António Costa nega impacto visual do terminal de contentores
"Não está em causa nenhuma muralha de aço", disse o presidente da autarquia de Lisboa ao ser confrontado pelos jornalistas sobre o impacto visual da ampliação do terminal de contentores em Alcântara."


Quem acredita numa afirmação destas, assim como a da inocente concessão , sem concurso publico por mais 27 anos á empresa Liscont, do grupo Mota-Engil, com a administração de um ilustre socialista -Tudo bons rapazes.
Um professor universitário lançou mais uma petição , quem quiser aderir contra a situação veja : A petição "Em Defesa de Lisboa" pode ser assinada no endereço electrónico http://www.gopetition.com/online/23002.html.
Petição «LISBOA É DAS PESSOAS. MAIS CONTENTORES NÃO!»
http://www.gopetition.com/online/22835.html

36 comentários:

  1. Matéria interessante!
    Passo pra te deixar um beijo de boa semana!

    ResponderEliminar
  2. Por causa desta situação, e de ser o primeiro signatário do abaixo assinado, MST esteve a ponto de ser agredido quando saía da CML, após a última sessão de Câmara...
    Vamos ter os monos ali mesmo no meio, tenham eles a altura que tiverem, mesmo que haja mais de 10 ou 50 ou 100 mil assinaturas...

    Bom domingo

    ResponderEliminar
  3. Não me parece que lá devam continuar mas não vai ser fácil pelo que vi.

    Saudações cordiais.

    ResponderEliminar
  4. Já nem me lembro do nome pomposo que a Lurdinhas da Educação chamou aos contentores (aqueles onde se dão aulas), mas que não são bonitos, isso penso que é consensual.
    É mais uma negociata, assumam, que pelo menos é mais honesto.
    Abraço do Zé

    ResponderEliminar
  5. Você diz bem: nesses tempos a água estava suja mas isso não era importante.
    Cá na minha terra (de mar) era o mesmo.
    Agora vem a ASAI...
    e... pronto...
    vai tudo dentro!

    Um abraço.

    ResponderEliminar
  6. Te dejo un fuerte abrazo y mis mejores deseos...

    Te abrazo
    MentesSueltas

    ResponderEliminar
  7. Cheguei tarde para assinar, são 10:20 e terminava as 10h. Mesmo assim, fica o meu apoio.
    Um abraço
    Márcia

    ResponderEliminar
  8. Genial e Admirável Amigo:
    Admiro imenso o seu fantástico poder de análise urbanística e a forma brilhante de a linear e de a conceber.
    Olhe, há muito não vou a Lisboa.
    Primeiro, tinha uma avó que morava na capital onde ia frequentemente.
    Refugiava-me nos cinemas onde passavam filmes de qualidade.
    O "Quarteto" na avenida de Roma, ainda existe?
    Era uma casa de espectáculos cinematográficos, com quatro salas, onde ia imenso.
    Adorava a selecção que "filtrava" para satisfação das pessoas informadas neste aspecto.
    Adorava ver passar Fellini, Trauffau e Bergman. Outros tempos.
    Outros atitudes que definiram a minha existência e a minha geração que me maracaram com saudade.
    Acho, magistral o seu poder crítico gigantesco da realidade lisboeta.
    Olhe, parabéns sinceros, talentoso amigo.
    OBRIGADO pela visita que me efectuou e pelas palavras simpáticas lá expressas. Adorei.

    Abraço forte de respeito, estima e imensa consideração.
    Sempre a admirá-lo

    pena

    Desculpe, se disse alguma aberração ou inconveniência.
    Sempre ao dispõr

    pena

    MUITO OBRIGADO.
    Talvez, um dia nos encontremos...
    Até sempre...Talentoso amigo...
    Agradecido...
    Creio, sensata, sóbria e lúcida

    ResponderEliminar
  9. Amigo:
    Não sei como apareceu no comentário a última frase. Houve um lapso, POR FAVOR, elimine-a:
    Diz, não sei como: "Creio, sensata, sóbria e lúcida". Não faz sentido, anule-a.
    OBRIGADO. DESCULPE.
    Com amabilidade.

    pena

    ResponderEliminar
  10. Oláaaa...

    Obrigada...desejo infinita carícias no seu coração...

    Texto mto bem redigida...pena que não conheço o teu país ainda...rsrs...

    Semana super maravilhosa pra ti...

    Beijosss...

    ResponderEliminar
  11. Infelizmente, amigo, em todo o mundo é o dinheiro que manda. Mas precisamos continuar a fazer ouvir a nossa voz! Boa semana.

    ResponderEliminar
  12. Caro Valente,
    Mais negociatas... é fartar vilanagem, que a gente aguenta, a gente cala, a gente consente.

    Um abraço

    ResponderEliminar
  13. Meu caro C. Valente, eis-me de regresso, gozando o merecido descanso depois de umas férias intensas, onde tudo correu pelo melhor, desde a tranquilidade do mar, ao clima ameno,a vida intensa a bordo, o convívio humano, as ilhas acolhedoras e as praias de um azul turqueza, tão quentinhas, que só mesmo experimentando...
    Recomendo.

    Um abraço.

    ResponderEliminar
  14. Olá cê Valentíssimo

    Discordo frontalmente da «petição». Já estou daqui a ver a multidão que me pretende linchar - e lixar. Mas, mesmo assim, discordo.

    Não quero aqui equacionar a questão dos estivadores estarem com ou contra os patrões. O problema é deles: de ambos, friso. E por mais voltas que tentem dar-me, é assim que penso. A luta de classes já foi. O Marx e o Engels, e o Hegel, e o Lenine já foram. Até mesmo o capitalismo está a ir-se.

    A alegada «muralha de aço» (é interessante ver o PSD a utilizar uma expressão que tanto criticou a propósito do "companheiro Vasco", iniciada no comício de Almada) não o é coisíssima nenhuma. Analisem com calma, cabeça fria e a isenção possível e verão que não é nada disso.

    E quanto a esplanadas, já alguém viu alguma nos cais de acostagem dos navios que fazem escala em Lisboa? Haverá também aí uma «muralha de aço»? Ou uma «cortina de ferro»?

    Roubar-se-á tanto espaço a nós lisboetas? A mim, que o sou há 67 anos, não rouba.

    Poderá sim roubar-se o tráfego por Lisboa, se o nosso porto não dispuser de capacidade para manusear os contentores que os navios trazem e levam. Porque eles não ficam cá. Ninguém, muito menos as transportadoras marítimas, se quer substituir à Santa Casa da Misericórdia. Hoje, ninguém dá nada a ninguém. De contentores - nem pó.

    Depois das mini-férias (que foram excelentes) e com as baterias recarregadas, estou de regresso. E, de novo, visito o teu blogue, que continua em grande forma. Uma vez mais, muitos parabéns! Espero que também voltes ao www.aminhatravessadoferreira.blogspot.com, que, como sabes, é o meu novo. Já tenho saudades de ti e das tuas visitas. Obrigado.

    Abs

    ResponderEliminar
  15. ...um pouco de poesia em nossos corações, quão maravilhoso é...
    Uma semana cheia de muita luz paz e muito AMOR !...
    Beijinho prateado

    SOL

    ResponderEliminar
  16. C.Valente
    Bastante elucidativo este teu post.
    Realmente o raio das coincidências...


    Abraço

    ResponderEliminar
  17. Olá querido Amigo C Valente, gostei como esceveu o seu texto...Parabéns!
    Beijinhos de carinho e ternura,
    Fernandinha

    ResponderEliminar
  18. ola

    É sempre com prazer que por aqui passo e lhe garanto que voltarei.

    bem haja

    carla

    http://www.arte-e-ponto.blogspot.com

    ResponderEliminar
  19. Conheço pouco de Lisboa, mas esses "problemas" são transversais a todo o país...

    Fica bem,
    Miguel

    ResponderEliminar
  20. Desejos de uma semana

    Este texto está fantástico
    É assim o país que temos......


    bjgrande do Lago

    ResponderEliminar
  21. Mas não existem limites de espécie alguma para este despudor?!
    Fique bem.

    ResponderEliminar
  22. Valente,
    Vou já de seguida sobrescrever a petição, porque acho que devemos levantar a nossa voz de protesto contra estes jogos de interesses, enquanto há tempo.
    Abraço.

    ResponderEliminar
  23. Meu caro escritor,

    Não moro em Portugal, mas agradeço as informações dadas pelo teu texto!

    Um abraço!

    ResponderEliminar
  24. Há coisas que não se entendem.A mim ultarpassam-me.

    Boa semana

    bjinho

    ResponderEliminar
  25. Só uma pergunta de um inocente ignorante como eu.
    O Jorge Coelhone não terá nada a ver com este assunto, não?

    Saudações amistosas.

    ResponderEliminar
  26. Olá querido Amigo C Valente, votos de um dia de Paz e Amor... Beijinhos de carinho e amizade,
    Fernandinha

    ResponderEliminar
  27. Não sabia desses desenvolvimentos.
    Sempre pensei que a Câmara que a jurisdição daquela área para a dar integralmente aos cidadãos.
    Contentores...? Acho que é péssimo.
    Acho que a Rocha ainda lá está, meio entalada e moribunda. Nem sei se ainda faz alguma coisa.
    Abraço.

    ResponderEliminar
  28. ERRATA:
    Sempre pensei que a Câmara queria a jurisdição daquela área...

    ResponderEliminar
  29. Lindo amigo! Não me sinto com competência pra comentar, até porque desconheço com maior profundidade o assunto, mas gostei da matéria e as vezes, o que aí ocorre, parece com o que acontece por aqui.
    Beijos

    ResponderEliminar
  30. voltei para ver as novidades...é sempre um prazer passar por aqui.

    Boa semana

    carla

    http://www.arte-e-ponto.blogspot.com

    ResponderEliminar
  31. Embarquei muita vez deste cais...



    Abraço

    ResponderEliminar
  32. C.Valente

    Passo e deixo um abraço.

    ResponderEliminar
  33. Talentoso e Genial Amigo:
    MUITO OBRIGADO pelo seu gesto simpático e amigo que não esqueço.
    Todo o meu apreço pela sua genialidade e talento atento no que faz e faz admiravelmente.
    Com saudações recíprocas de admiração, respeito e muita estima.
    Agradecido...
    Abraço...

    pena

    ResponderEliminar
  34. Pelo visto, prezado C Valente, de igual modo ao Brasil, aí em Portugal o planejamento urbano também não é páreo para a especulação e as negociatas. Será porque, em ambos os países, falamos a mesma língua?
    Um abraço!

    ResponderEliminar