2015-08-28

10 Pontos importantes a ter em conta para avida

1 - A vida nem sempre é justa, mas é a única que temos, o inverso é a morte
2 - A vida é curta demais para não se aproveitar dela. Goze-a enquanto pode
3 -. Lembre-se que o seu trabalho não vai cuidar de si quando estiver doente. Mas a sua família estará sempre consigo, por isso lembre-se deles
4 -Faça “aventuras” enquanto é jovem. Não espere ficar velho quando já não pode.
5 - Nunca é tarde demais para ser feliz, isso é da sua responsabilidade e de mais ninguém.
6 - Ficar velho é melhor que a outra alternativa – morrer jovem.
7 -. Faça as pazes com o passado para não carregar o fardo no presente.
8 -. Perdoe, mas não esqueça, pois o tempo quase tudo cura, dê tempo ao tempo
9 - Inveja é perda de tempo. Aceite o que você já tem, não aquilo que você acha que precisa por os outros o terem.
10 - Não compre coisas que não precisa. Economize para coisas que importam, amanhã pode precisar do dinheiro que desperdiçou

2015-08-18

Sono agitado

I
Sono agitado e inquietante de insondáveis sonhos
Depara-se num mundo de manchas indistintas
Como uma linha escura e difusa se apresenta
A essência das coisas se esfuma na mente
II
Algo de estanho e surpreendente em pesadelo
Uma cena de inferno, é apresentada, e outra
Num clarão fantasmagórico de cor sangrenta 
Imagens terríveis num rodopio conjuradas
III
Pela rua ingreme, irregular e traiçoeira marcham
Num matraquear de passos em botas cardadas
Com empedrado salpicado de suores e sangue
Rostos escancarados em expressão animalesca
IV
Procurando causa profunda em torno de um vazio
Confiando no destino sem convicção aprofundada 
Enormes maciços de pedra esbarram no caminho
Sensações de impotência e pequenez se conjugam
V
Abrindo os olhos de uma forma abrupta entre lufada de ar
Janelas aberta de par em par com farrapos feitos cortinas
Descortina-se um mundo de indiferença e infinita infelicidade
Rostos velados pela madrugada até ao alvorecer dos dias
VI
Suave silvo de piedade em manto de conforto constante
Um rosto na multidão do nada, deslocado do local e tempo
O sol tenta banhar todo o espaço em fragmentos de cores
Contemplar o brilho e sombra num recanto de paz e silêncio. 

Votar ou não votar

Não voto em políticos feios ou bonitos, se fala bem ou mal, se tem oratória ou não, se tem olhos azuis ou castanhos, se gosta de palhinhas ou ratinhas.
Voto em quem me inspira confiança não pelas palavras mas pela acção, em quem possa acreditar minimamente, mas voto.
Votar foi uma das poucas coisas que ainda não nos foi tirado, se bem que adulterado todo o processo eleitoral em prol dos partidos e para os partidos m e muito pouco para as pessoas, 
O 1º objectivo dos políticos e grande prioridade é o poleiro depois vem os amigos, correligionários, o clubismo partidário, o cobrar de favores passados, presentes ou futuros, em último é basicamente só em períodos eleitorais é que vem o povo, os cumprimentos, beijos e abraços, por isso digo
Políticos que se apresentam por círculos eleitorais, que desconhecem, pessoas de Lisboa apresentam-se pelo distrito de Braga ou Faro, é-lhes indiferente, é preciso é ser eleito e de acordo com o interesse partidário.
O importante, importante é o cidadão não ter memória curta, não se deixar enganar pelas aparências e conversa da treta, dos que prometeram e não cumpriram
No dia 4 Outubro ir votar, mostrando o seu descontentamento com os partidos e a política, ou no seu partido, mesmo que goste de ser enganado pois á gosto para tudo.
Temos ouvido diversas opiniões e sugestões, votar ou não votar, qual é o mais importante, não ir votar ou votar em branco, quem beneficia quem? E se a grande maioria (+ de 51%) dos cidadãos não fosse votar, o resultado nas eleições era válido? ou estamos todos aprisionados num esquema que beneficia sempre os grandes partidos

 Há políticos que são vigaristas, Há vigaristas que não são políticos
Há gentes que são eleitos pelo povo, mas vendidos aos partidos
Há pessoas que enriqueceram na política, Há ricos que não são políticos
Há políticos que têm coluna vertebral, há outros que não a têm









2015-08-12

Verdades ou mentiras

Os políticos em eleições fazem promessas mentindo alegremente
O Estado gasta milhões com pareceres, institutos e comissões
 Os governantes ludibriam, falseiam e manipulam descaradamente,   

Vigaristas proliferam nos corredores do poder impunemente

O jet set acumula dívidas e calotes sem pudor constantemente
As vedetas mudam de parceiro como se muda os lençóis
É fino, é moderno, cornos com flores lavados ficam como novos
Agora são só namorados, acabaram os juntos e os amancebados

Os trabalhadores produzem por míseros tostões
Os reformados sobrevivem com uma miserável pensão
Os administradores, parasitam e cobram milhões
Empresas vão á falencia, a culpa nunca é o administrador 

2015-08-05

Uma sobremesa simples e rápida e fresca.

Com estamos no verão apetece um Cheesecake de frutos assim temos uma sobremesa simples rápida e fresca. 

A) - Base
- 200g de bolacha tipo Maria
- 50 g de margarina
- 4 Ovos
- 370g (1Lata) de leite condensado
- 400g (2 Embalagens) de queijo Philadelphia
-Q.b. Raspa de limão
- Numa misturadora á que colocar as bolachas, e triturar até ficar uma farinha (quase  
  um pó).
- Leve ao lume a margarina para derreter ligeiramente, misturar a margarina derretida
  e a bolacha triturada fazendo uma massa consistente.
- Colocar a base bem assente numa forma de aro lateral amovível, levando ao forno a tostar/torrar ligeiramente.
- Em seguida num liquidificador juntar os ovos inteiros, o leite condensado, o queijo e
  raspas de limão.
- Depois de bem liquefeito, deitar sobre a base e leve ao forno a 180º durante cerca de
  30 min. Retire e deixe arrefecer ligeiramente.    
B) - Cobertura
a) - Um modo mais simples e prático, poderá ser feita simplesmente com uma
  embalagem de geleia ou doce a seu gosto (framboesa, morango, amora etc.)
b) -  Se preferir fazer a sua própria cobertura temos por exemplo:
- 200 g de framboesa,
- 100 g de açúcar
- 1 Embalagem de Gelatina em pó ou “Agar-Agar de 2g”
- 1 Chávena de água
Leve a framboesa em lume brando,
Mistura um a gelatina em pó num pouco de água, de seguida juntar á framboesa, triture e deixe a cozinhar durante cerca de 10 a 15 min.
Deixa-se esfriar um pouco e deitar a cobertura sobre a base anterior, desformar e se pretender pode colocar framboesas inteiras de modo a embelezar a seu gosto.
Se pretender uma sobremesa mais fresca antes de servir guarde o cheesecake no frigorífico durante algum tempo, (não deixe congelar).

Nota: Já se entender que o leite condensado já é suficiente, mas se gostar mais doce, na liquidificadora juntar uma xicare de açúcar.

2015-08-03

Peixe ao sal

Uma boa refeição deve ser partilhada com os amigos e a forma que encontrei foi apresentar-vos a receita.

Peixe ao sal

Ingredientes
- Peixe de cerca 1kg como a Dourada, Robalo, Garoupa, Pargo, Cherne etc.
- Sal grosso 2 ou a 3 pacotes (cerca de 1kg)
- Ervas aromáticas variadas (salsa, coentros manjericão, alecrim, cominhos, pimenta, (Não é   
  necessário colocar todas as ervas, deverá ser de acordo com a sua preferência e gosto ).
 - Clara de ovo (2 ou 3 ovos)
- Sumo de limão (1)
- Papel de alumínio ou vegetal

Preparação:
- O peixe deve ser bem limpo por dentro, (retirando as guelras e barrigas), amanhado sem grandes cuidados ficando de barriga aberta, depois secar e colocar sobre um plano limpo.
- Encher a barriga com os ramos de ervas aromáticas variadas até tapar completamente a barriga de modo a que o sal não entre no peixe
- Coloque as ervas aromáticas numa tijela e faça a mistura a seu gosto juntando 2 claras e mexer até obter uma mistura consistente.
- Escolha uma travessa grande ou um tabuleiro que possa ir ao forno, e onde caiba o peixe, e  
  forre com papel de alumínio, ou vegetal ( o que tiver á mão).
- Coloque o sal de modo a cobrir toda a base da travessa, criando uma cama, (mesmo que seja uma em excesso, não qualquer risco do peixe ficar salgado).
. Coloque o peixe dentro da travessa ou tabuleiro cobrindo com uma mistura de sal e clara de ovo, salpicar o sal, com gotas de água de modo a cristalizar o sal e fazer uma película mais compacta. É conveniente que fique uma película espessa de sal sobre o peixe, para o cozinhar bem, mesmo que em excesso.
- Agora que já tem o peixe, completamente coberto em sal, coloque a travessa no forno e deixe-o a cozinhar em temperatura máxima, durante 20 a 25 minutos. (a 180º graus).
Passado o tempo, desligue o forno mas, deixe ficar o peixe mais 15 minutos, a cozinhar no calor remanescente.

Após cozinhado
Para servir, parta a crosta de sal do meio do peixe para as extremidades (por regra, a pele vem agarrada, deixando a descoberto toda a boa parte do peixe sem o sal).
Sirva com batata ou arroz e legumes salteados ou uma salada de alface, temperada com azeite e limão…………… e bom apetite

2015-07-15

Realidade de vida


 Uma vida é feita de ilusões e realidades
Libertação da mente brota como uma flor
Homem é livre como pássaro em gaiola
Cobertura de vidro com portas invisíveis

Caminho feito de sacrifícios e ausências
Pensamentos voam por altas montanhas
Pés assentes sobre cimento enterrados
Difícil libertar as amarras que nos prendem

Turbulência no ar não define tempestade
Arvores e flores varejam e não quebram
Sol, vento rompem entre nuvens e folhagens
Terras se soltam libertando novas sementes

Sangue escorre como seiva ardente no coração
Raízes nos agarram ao passado feito presente
Acumulando momentos que são recordações.
Cerram os olhos, infância, pais, irmãos, família.










2015-07-11

Somos uma linha por completar


Somos timoneiros e náufragos de nós próprios
Na rota da vida, sempre uma incógnita por definir
A reacção em conformidade com a força de vontade
Desempenho incrível odisseia no frenesim da vida

Quanta solidão de no meio da multidão em tempestade 
Somos fantasmas, flutuando entre a verdade e a mentira  
Oscilando entre a ausência de ânimo e coragem férrea
Arrojadas ou simples situações se deparam por conquistar

Baixar os braços uma forma errónea de resolver situações
A vida não é uma linha recta composta por princípio e fim,
Pelo meio é espaços cheios, vazios e muitos desvios,
Virgulas, parentes, sinais de interrogação até ao ponto final



2015-06-28

Não te esqueças

Podem despojar-nos dos nossos direitos
Retirar as conquistas laborais alcançadas
Falhar-nos a justiça, saúde, a solidariedade
Não nos retiram a nossa dignidade de homens

Podem utilizar palavras ardilosas e trair-nos
Podem negar terem feito falsas promessas
Falta-nos verdadeira ética moral e profissional,
Negar as estatísticas, valorizar a humanidade

Noticias fabricadas ao gosto dos poderosos
Encobrem miséria do mundo real envolvente
Que se apaguem as palavras se façam actos
O futuro é agora, não num qualquer amanhã

Numa austeridade patológica de justiça social
Vampiros no poleiro preparam seus ataques
Dando migalhas aos moribundos, tais heróis
Esperando sugar-lhes o seu voto dourado

Liberta-se emoções do homem adormecido
A passividade e o medo também se revoltam, 
Pessoas não são simples números descartáveis
Quando a desgraça acontece, todos são afectados.


2015-03-03

Valor perdidos


-  5 Situações, que valorizam o homem e  que a maioria dos             políticos desconhece: 
  • A dignidade não se decreta, não se compra, não se apregoa,
  • A consciência não se vende nas farmácias nem no supermercado
  • A honradez não é uma doença
  • A ética não é um vício
  • A verdade não dói