2008-03-10

Politica o que mudou em 110 anos

Hoje e farto destas politicas e destes políticos que já não se encontra palavras para descrever o que se passa no Governo PS e mesmo no PSD onde também não se entendem.(Um ou outro venha o diabo e escolha).
Parece estarmos condenados, num país de grandes Homens, alguns grandes visionários pois verifica-se que ao longo dos anos, o que mudou (esquecendo o betão e a ordem natural das coisas) parece que nada. Mudam os tempos, mudam as moscas, mas a m…. é a mesma.

Aqui lembro o que foi escrito á mais de 110 anos por Guerra Junqueiro.

" Um povo imbecilizado e resignado, humilde e macambúzio, fatalista esonâmbulo, burro de carga, besta de nora, aguentando pauladas, sacosde vergonhas, feixes de misérias, sem uma rebelião, um mostrar dedentes, a energia dum coice, pois que nem já com as orelhas é capazde sacudir as moscas; um povo em catalepsia ambulante, não selembrando nem donde vem, nem onde está, nem para onde vai; um povo,enfim, que eu adoro, porque sofre e é bom, e guarda ainda na noite dasua inconsciência como que um lampejo misterioso da alma nacional, -reflexo de astro em silêncio escuro de lagoa morta (...)

Uma burguesia, cívica e politicamente corrupta ate à medula, nãodescriminando já o bem do mal, sem palavras, sem vergonha, semcarácter, havendo homens que, honrados (?) na vida intima, descambamna vida publica em pantomineiros e sevandijas, capazes de toda aveniaga e toda a infâmia, da mentira a falsificação, da violência aoroubo, donde provém que na politica portuguesa sucedam, entre aindiferença geral, escândalos monstruosos, absolutamente inverosímeisno Limoeiro (...)

Um poder legislativo, esfregão de cozinha do executivo; estecriado de quarto do moderador; e este, finalmente, tornado absolutopela abdicação unânime do pais, e exercido ao acaso da herança, peloprimeiro que sai dum ventre, - como da roda duma lotaria.

A justiça ao arbítrio da Politica, torcendo-lhe a vara aoponto de fazer dela saca-rolhas; (…)

Dois partidos (...), sem ideias, sem planos, sem convicções,incapazes (...) vivendo ambos do mesmo utilitarismo céptico epervertido, análogos nas palavras, idênticos nos actos, iguais um aooutro como duas metades do mesmo zero, e não se amalgando e fundindo,apesar disso, pela razão que alguém deu no parlamento, - de nãocaberem todos duma vez na mesma sala de jantar (...)"

Escrito "In Pátria" em 1896" por : Abílio Manuel Guerra Junqueiro (1850 – 1923) formado em direito, tendo sido Alto funcionário Administrativo, Deputado, Jornalista, Escritor e Poeta.

39 comentários:

  1. E sabes o que doi, caro C Valente? É ter a certeza que quem quer que vá para o poleiro irá fazer o mesmo...

    Abraço!

    ResponderEliminar
  2. Esta passagem de Guerra Junqueiro, cada vez mais e mais actual...
    Um Abraço e Boa Semana

    ResponderEliminar
  3. Caro amigo,
    Bem falava Guerra Junqueiro. Também eu já publiquei esse texto onse se verifica como actuais são as suas palavras, Nunca é demail lembrar e reflectir.
    Um abraço amigo

    ResponderEliminar
  4. Artigo antigo mas tão actual ;)

    ResponderEliminar
  5. Já conhecia o texto.
    É um dos tenho guardado para,
    de vez em quanto, enviar a amigos.
    Até parece bruxedo!..
    Parece que foi escrito ontem.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  6. Meu Amigo...
    Conhecia o texto... mas realmente foi MUITO bom relembrares aqui...
    O que realmente "Dói" é que passados 110 anos diria que cada letra se aplica á nossa actualidade...
    infelizmente...
    Dizes e muito bem... mudam os tempos... mas a m. é a mesma ... e pior... ou pior!

    Deixo um beijo de noite serena

    (*)

    ResponderEliminar
  7. Acho que só vivemos de indignação...
    Um beijo de boa semana pra ti

    ResponderEliminar
  8. Olá meu querido amigo C Valente, não conhecia o texto, e não gostei de ver, que apenas mudaram os políticos... O resto zero!!!
    Muitos beijinhos de carinho e amizade.
    Fernandinha

    ResponderEliminar
  9. Pois é amigo os anos passam e as escritas de outrora continuam actualizadíssimas no nosso cenário politico...
    Precisamos de vozes do povo na rua de novo. Fiquei feliz ao ver a manifestação do dia 8, pelo menos parece que estamos a voltar a nos fazer ouvir.

    Beijinhos amigo
    BF

    ResponderEliminar
  10. É uma tristesa verificar que após tantos anos as coisas continuam iguais.

    Abraço.

    marinheiroaguadoce a navegar

    ResponderEliminar
  11. E daqui a mais 100 não deverá haver grande desactualização!

    saudações.
    um abraço.

    ResponderEliminar
  12. Meu Deus, as vezes que já li "A Pátria"!!!!!! Recomendo também Antero de Quental, "Causas da Decadência dos Povos Peninsulares"!!! É para vermos como este país nada mudou!

    ResponderEliminar
  13. Olá querido amigo C Valente, passei para deixar-lhe um beijinho de boa noite.
    Fernandinha

    ResponderEliminar
  14. padeirinha11/03/08, 22:46

    Sem rebelião...

    De facto não passamos da cepa torta.

    ResponderEliminar
  15. Até dói ler as palavras do Guerra Junqueiro tantos anos depois e ter que reconhecer que são de uma actualidade revoltante!

    É sinal que andamos tão devagarinho, que só nos podemos queixar de nós e não de meras fatalidades!

    Aquele abraço infernal!

    ResponderEliminar
  16. Para esquecer destas mazelas venha comigo à minha praia preferida!

    GUARUJÁ

    Abraço

    Luiz

    ResponderEliminar
  17. Tanto tempo e tudo contiua assim... é difícil acreditar que pode haver mudança.. mas ainda acredito. Não tenho outra alternativa além de acreditar...
    Grande abraço

    ResponderEliminar
  18. Muito bom relembrar Guerra Junqueiro!
    Abraço.

    ResponderEliminar
  19. Ora amigos, é o emprego deles!
    O governo PS faz o que é seu dever e o que seria dever do PSD.
    Logo o PSD já nem sabe ser oposição porque o PS já há muito que lhe faz o servíço de graça.
    A única coisa que o PSD está à espera é da oportunidade para nos dizer: "Êi povo, agora é a nossa vez!" (e lá vão os mesmos, mesmo aqueles que já mostraram tantas asneiras!)
    Depois, bem... depois do PSD volta para lá o PS!(Outra vez os mesmos!)
    PORTUGAL É ISTO!!!!!!

    ResponderEliminar
  20. "...um povo,enfim, que eu adoro, porque sofre e é bom...".
    O retrato de hoje pouco difere, e não sei por quantos anos mais "o burro suportará a canga".
    Será que seremos sempre resignados? Gostari de pensar que não.
    Cumps

    ResponderEliminar
  21. C.Valente,
    Tal como Eça de Queirós também Guerra Junqueiro foi um visionário.
    Triste o povo que o constata, que somos nós.

    Beijos

    ResponderEliminar
  22. Passei para desejar um Bom Dia!!

    (*)

    ResponderEliminar
  23. Um texto a ter em linha de conta visto que é bastante verídico,apenas mudou o tempo...de resto tudo igual.
    Bjs Zita

    ResponderEliminar
  24. O Sol abandonou o céu
    A Lua ironiza no celeste
    Soltas perversas vontades
    Cruzam a tua vida agreste


    Convido-te a partilhar a minha visão da forma em
    como a vida às vezes é perversa para algumas mulheres…

    Abraço

    ResponderEliminar
  25. Um magnífico texto que convida à reflexão e a que se leia com olhos de ler. É que o atestado é passado a todos!

    ResponderEliminar
  26. Desde que o Guerra Junqueiro escreveu este texto, as pessoas pouco ou nada mudaram.
    Por isso, tudo como dantes...

    Bom resto de semana.
    Abraço.

    ResponderEliminar
  27. Na realidade devemos falar sobre essa gente, lutar contra o que de errado fazem, mas é uma grande verdade, o cansaço começa a fazer das suas...
    Pensando melhor, mais vale ficar cansado numa luta directa...hummm é uma ideia a pensar..

    ResponderEliminar
  28. Oie meu amigo lindo! A política do mundo está deteriorada. Não há como se dar crédito ao que dizem. Cada qual administra em pról do próprio bolso.
    Beijos

    ResponderEliminar
  29. Pois é, amigo! Mudam os séculos, as civilizações, mas o ser humano não, infelizmente!

    Abraços!

    ResponderEliminar
  30. Carissimo amigo C/Valente

    Se fosse possivel esse texto devia ser enviado a toda a classe politica Portuguesa para que corassem de vergonha ,pois como muito bem disse á parte do betão 110 anos depois pouco mudou. As pessoas pouco também mudaram e essa é também uma triste realidade.

    Um abraço
    Joy

    ResponderEliminar
  31. Sempre actual :) Bom resto de semana!

    ResponderEliminar
  32. encaixa que nem uma luva!
    cump's

    ResponderEliminar
  33. Na política, em cidadania, todos somos responsáveis.
    Alguém vota neles... agora é esperar pelo fim da volta, meter mais um votinho e toca a rodar...

    "Povo que não se governa, nem se deixa governar"!

    saudações e um sorriso

    ResponderEliminar
  34. valente,
    Este texto só bem provar que a classe política não muda, mas os burros somos nós que vamos alimentando ao longo dos tempos essa escumalha.
    Abraço.

    ResponderEliminar
  35. Amigo Valente

    Em dia de aniversário, HOJE tenho uma surpresa para os amigos.
    Espero por ti.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  36. Olá meu amigo C. Valente, já cá estou, de novo no meu canto.

    Quanto ao teu texto, diria que mudam as pessoas, não mudam as vontades.

    Um abraço

    ResponderEliminar
  37. há 110 anos ...


    quem diria??? ... parece que foi escrito ontem ...


    beijinhos e bom fim de semana

    ResponderEliminar
  38. C.Valente
    Guerra Junqueiro sabia o que dizia e afinal está tudo exactamente assim 110 anos depois.

    Em comemoração do dia da poesia deixo-te este belo poema de Eugénio de Andrade:

    Tudo me prende à terra onde me dei
    O rio subitamente adolescente,
    A luz tropeçando nas esquinas,
    As areias onde ardi impaciente.

    Tudo me prende do mesmo triste amor
    Que há em saber que a vida pouco dura
    E nela ponho a esperança e o calor
    Duns dedos com restos de ternura.

    Dizem que há outros céus e outras luas
    E outros olhos densos de alegria
    Mas eu sou destas casas, destas ruas,
    Deste amor a escorrer melancolia.

    Beijinhos

    ResponderEliminar