2015-01-29

triste desfilar

Calcorreando a calçada descalça
Pedras despidas, ensanguentadas
Quanta multidão chora amordaçada
A miséria graça nos rostos enrugados

Bandeiras brancas, negras e velas acesas
Procissão de idosos arrastando seus corpos
Caminhantes de um calvário que não tem fim
Crianças pela mão dos avós também choram

Marcha de funcionários públicos, de sapato roto
Desempregado, herói sobrevivente na amargura
Tanta gente espezinhada na insegurança e medo
Constrangimento estampado na fase do reformado

Desfile embocando em largo fortemente armado
Escudos, viseiras força policial pronto na acção
Palavreado protegido jorra do varandim do palácio
Governante no pedestal porta-se como um charlatão

1 comentário:

  1. abraço, meu caro amigo

    prazer sempre visitar este espaço

    ResponderEliminar