2008-07-16

Trabalho sim, Subsídios não.

Estamos num país de dependentes de subsídios, dos coitadinhos, dos parasitas em viver á custas dos outros, da demagogia barata de grande propaganda e soluções fáceis.
Trabalhar no campo, não que faz calos e cria marreca, esfregar escadas ou efectuar limpezas, não que tem problemas de saúde, aprender uma profissão para quê, se o estado nos sustenta, e se não chegar vai roubar-se, com estes predicados ainda se é estrela de televisão ( pelo menos tem direito a entrevista).
Descontos para a segurança social é coisa que nunca se fez, sendo um feirante, vendedor ambulante, onde não existe registos de compra de mercadoria e venda, o que vier á rede é lucro, e nada há a declarar, qual IVA, qual IRC ou IRS,
O que interessa é o subsidio de inserção, o ter casa de borla, ou quase, o exigir condições, pois caso contrario, reclamamos, reivindicamos protestamos na condição de marginalizados, de racismo, e outros coisas que nos lembrarmos, mandamos os residentes das Câmara irem par o nosso bairro, pois queremos e exigimos coisa melhor, pagar, obrigações isso é para os outros. Venha o subsídio.
È uma vez um país, em que muitos dos noticiários, transmite assuntos de pasquim, de faca e alguidar, que dá mais valor aos coitadinhos dos prevaricadores, dos que cometem uns crimezinhos, matam e roubam, uns assaltos, a carros e habitações que efectuam “carjking” (é fino este termo, porque não dizer bandoleiros ou assaltantes de viaturas),
Um país m que os que trabalham, que sempre trabalharam, alguns esse tenra idade, pagam tudo, sustentam tudo, que vêem a sua reforma que durante tantos anos descontaram ver cada vez mais pequena, mais afectada, onde tudo lhes tiram e não tem direito a nada. Querem casa, ou tem casa compram, pagam-na, tem o seu carro pagaram, querem medicamentos e assistência medica pagam, onde não tem direito a subsídios e outras mordomias
O país arde, as estradas degradam-se, as casas mesmo de organismos camarários ou do estado degradam-se, paga-se subidos para não se trabalhar
Onde gente nova, de 20, 30 ou mesmo 40 anos e outras de idade recebem subsídios e não querem trabalhar, pois lhes é mais vantajoso.
Pessoas bastante idosa, que trabalharam, na agricultura, que tem reformas de miséria, outras que de facto nada descontaram mas que devido á idade e á situação que se vivia no passado, nada recebem
Sabem que país é este, onde os políticos só sabem fazer demagogia, prometem e dão o que não é deles, que não tomar, talvez or falta de coragem medidas correctas em vez de subsidizinhos, que sejam justos para toda a população todos são filhos da mesma nação. Quem ganha muito, pagará o valor correspondente, quem nada ganha , saber como vivem ou sobrevivem ,acabar com a economia paralela, o trabalho sem recibo ou factura, e não ser sempre os mesmos a pagar a crise, incompetências e parasitismo.
Mas é um país rico, que faz realojamentos segundo as exigências de alguns. Que só lhes falta exigiram, casa com piscina e outras condições e o mais importante sem nada pagarem.
Que os ricos, cada vez são mais ricos, os remediados (classe media) cada vez estão menos remediados, que os pobres honestos estão mais pobres. Os oportunistas, vigaristas, ladrões e outros que tais cada vez estão melhor na vida.
Hoje sabemos que o custo do crude baixou, quando baixa os combustíveis? , e será que baixa??
Que país é este, estarei a sonhar ou acordado, é o país que me vio nascer e que de ano para ano só me traz dissabores Isto é um país de faz de conta, onde para determinadas situações, ou será só propaganda há dinheiro, para quem rema, se mata a trabalhar é relegado para terceiro plano e nada tem direito do muito que deu. (uma pequena nota sobre o que ouvi na TV, pode-se gastar até 1000 euros para tratamento de um alcoólico, mas não se mata a fome e que verdadeiramente necessita de um pão ou de um remédio.

Esta narrativa talvez se deva a uma conversa que uma pessoa a segurança social, que me disse claramente, “muitas das vezes sabemos que as pessoas não tem direito mínimo, mas nós temos medo, pois chegam a ameaçar se alguém lhes diz que não tem direito ou a realojamento, ou a subsídios,
Hoje estou em baixo, me desculpem os amigos, isto será um desabafo contra tanta injustiça que diariamente vemos e ouvimos, e não posso escondera minha frustração pelo que se passa á volta.

24 comentários:

  1. Trabalho, claro!
    Dignidade, sempre!
    Bom final de semana.

    ResponderEliminar
  2. O trabalho é um direito que infelizmente muitos não têm, e outros não querem. Os primeiros são vítimas, os outros são os parasitas.
    Abraço do Zé

    ResponderEliminar
  3. É verdade amigo, o trabalho nos faz dignos de viver.
    Aproveito par dizer que estou de volta e ...Quanta falta senti de todos vós.
    Passamos por máus momentos,mas quem espera pelos bons ,sempre os alcança.Estou feliz estou de volta para vos dizer que vos adoro.
    Beijinho prateado com carinho,acompanhado de um lindo fim de semana
    SOL

    ResponderEliminar
  4. Oie meu amigo lindo! Infelizmente esses des governos assolam o mundo. Cada um que no poder chega, esquece de tudo que prometeu e só lembram de si mesma. Lamentável!
    Beijos

    ResponderEliminar
  5. Junta a isso os padres declararem 344 € de rendimento mensal... Abraço!

    ResponderEliminar
  6. Estimado Amigo Valente,

    Venho somente, de fugida, para deixar-lhe um beijo muito amigo.

    Até breve
    Maria Faia

    ResponderEliminar
  7. É o chamando "mundo desigual"...

    Um beijo amigo

    ResponderEliminar
  8. Já diziam os romanos: "è um povo que não se governa nem se deixa governar"...
    Pões o dedo em várias das feridas que nos assolam. Excelente post.

    Abraço.

    ResponderEliminar
  9. O problema, amigo, é que quem trabalha são sempre os mesmos. Os da classe média, cumpridora, que sempre trabalhou, sempre descontou, sempre dentro da legalidade, quer para a Segurança Social quer para as Finanças.Sabe-se hoje que enquanto isto assim aconteceu, metade do país, ou mais, não paga impostos. Em nome da igualdade a Segurança Social está nivelando por baixo à custa, não dos poderosos, mas da classe referida, cumpridora, que nos últimos 5 anos só vê diminuir os seus proventos, quer activos, quer reformados. Sei do que falo, pois sempre trabalhei na Segurança Social. É um país de mentira, este, quando se arranjou como bode expiatório a função pública, só para obter os votos dos trabalhadores da privada, como se os da privadas fossem todos uns exemplos de produtividade. Quanto aos pobres, caro amigo, conheço de tudo um pouco: conheço gente que vive no campo e que nunca descontou e que não obstante requer o subsídio de reinserção , que foi concebido para quem não tem nada de nada. Há ciganos que se abotoam com mais do que um destes subsídios.Muita coisa há a dizer sobre isto. Claro que a Segurança Social teve uma evolução tremenda desde o 25 de Abril. Em nome de uma justiça que tinha de dsr posta no lugar. Mas agora, com o regime normalizado, uma pessoa que trabalhou toda e vida e descontou, ver a sua reforma não aumentar como deve ser, em função da inflação, em nome de um nivelamento cretino, obediência a
    uma igualdade bacoca? Não. Estamos a construir, estamos, não, estão os governos, a construir um país de gente cada vez mais pobre, a despeito da propaganda e da manipulação das estatísticas. A sua indignação é legítima. Um abraço.

    Eduardo Aleixo

    ResponderEliminar
  10. O começo!
    Uma viagem no Mundo presente
    Será que o vento açoita as árvores
    Ou são elas que cedem ao embalo docemente

    Gostava que sentisses o embalo das palavras

    Bom fim de semana


    Abraço

    ResponderEliminar
  11. C.Valente
    Sinto-te em baixo e aperto-te a mão com amor, com dor mas com muita esperança.
    Estamos nós a discutir subsídios - que são trocos - num País onde os ricos recebem reformas principescas e mais que uma? E ainda complementos do Banco de Portugal e por estarem na Ar e mais e mais.
    Mas eu entendo a tua indignação. Eu também a sinto muitas vezes mas depois caio em mim.

    Abraço

    ResponderEliminar
  12. Quem trabalha quer que o seu trabalho seja devidamente retribuído e que lhe proporcione uma vida digna. As políticas assistênciais, a caridadezinha, de que o governo faz alarde ofende quem tem coluna vertebral.
    Eles não querem perceber, teremos de ser nós a mostrar o que sentimos, seja no voto ou com manifestações de desagrado onde isso faça verdadeiramente mossa.
    Bfds
    Cumps

    ResponderEliminar
  13. Valente,
    Este é um país, que sim, é o nosso país, onde ainda hoje se enaltece quem é espertinho, e se trata os inteligentes e trabalhadores, por burros e otários, porque não sabem viver como os outros. Mais do que tudo, isto é uma questão de mentalidade social, que vai demorar décadas a mudar, se é que alguma vez muda.
    Bom fds.
    Abraço.

    ResponderEliminar
  14. Uns trabalham, outros vivem de subsídios e de esquemas. E safam-se!

    ResponderEliminar
  15. padeiradealjubarrota19/07/08, 15:17

    o anónimo, sou eu!

    ResponderEliminar
  16. Apenas para dizer que subscrevo uma por uma todas as palavras que aqui deixou...
    bom fim de semana
    beijos

    ResponderEliminar
  17. ...há dias em que é necessário um desabafo!

    Beijos de luz e um final de semana bem feliz!!!

    ResponderEliminar
  18. Olá querido Amigo C Valente, votos de um bom Domingo!!!
    Muitos beijinhos de carinho,
    Fernandinha

    ResponderEliminar
  19. Meu amigo lindo! Deixei um carinho para vocês que fazem a minha vida mais feliz!
    Que sua semana seja de realizações!
    Beijos

    ResponderEliminar
  20. Neste país os pobres já não
    ganham par comprar coisas
    baratas.

    ResponderEliminar
  21. Trabalho para todos, para os que querem e para os que não querem também, que chulos já os há em demasia.

    Saudações amistosas.
    Jorge P.G.Sineiro

    ResponderEliminar
  22. Mas a grande vantagem dos que trabalham, dos que pagam, dos que sustentam é a de ter dignidade, de poder dizer á boca cheia que pago sim senhor. Eu não sou um chulo do sistema.

    Um grande abraço.

    marinheiroaguadoce a navegar

    ResponderEliminar
  23. passando pra te desejar uma ótima semana

    beijinhos

    ResponderEliminar
  24. Venho deixar o meu OLÁ!

    Tudo bem? De férias? Há pessoas com sorte...

    ResponderEliminar