2010-01-12

A voz da situação

Foto do autor C Valente - Instalação de Q.E


Solta a voz do interior do teu frágil corpo
Da caravana que passa, o latido do cão
Um grito de dor se ouve na rua desertificada
Naquela casa pobre e abarracada

Voz solta as marras, entre mãos gretadas
Barca segue seu caminho em vagas alterosas
Velas desfraldadas ao vento enraivecido
Homem ao leme perscruta os céus

Terra desbravada. enxada em mãos calejadas
Garganta sufocada em costas curvadas
O tempo passa como o suar no seu corpo
Canseira da jornada que está a terminar

Na fábrica com máquinas a trabalhar
Ruídos, automáticos gestos ocupados
Mulheres, homens em azáfama a laborar
Mísero salário quantas vezes lhes é roubado

Passa-se fome, sofre-se miséria
Na labuta constante e desgraçada
Aqui, ali, por esses mundos fora
Poucos com muito, muitos com nada

Usurários em poltrona instalados
Unhas cuidadas, fatos engomados
Para eles os homens são números
Alheios á ética e solidariedade social

Engravatados na vida bem colocados
Debitam discursos, teorias, soluções
Barriga cheia, múltiplos empregos
Muitos, responsáveis destas situações

17 comentários:

  1. Bela sinopse deste viver sem quase vida.
    Obrigada pelas saudações.
    Bj.

    ResponderEliminar
  2. Metáforas de uma vida existente de muitas vidas.Excelente este poema.
    Feliz 2010.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  3. Olá, é minha primeira vez aqui e gostei. Vou voltar.
    Apareça no meu blog tb, tenho contos e agora um curta novinho com base em um texto chamado ESPELHO, de minha autoria também.
    Aproveite para me conhecer!
    abraço

    ResponderEliminar
  4. Penso que o contraste entre o capital e o trabalho é demasiado evidente para não se esperar rupturas a prazo. A especulação e o jogo das estatísticas escondem os perigos, mas uma crise económica a sério, conjugada com ua série de catástrofes naturais no hemisfério norte são possíveis e causariam escassez de alimentos, problemas de segurança e conflitos graves à escala mundial.
    O sistema produtivo baseado num capitalismo desenfreado onde os alimentos existem num lado do mundo, a produção industrial no outro, e as matérias primas no sul, é insustentável se o equilíbrio for perturbado .
    Eu nunca consigo dizer isto em poema...
    Abraço do Zé

    ResponderEliminar
  5. C Valente

    Que alguém não se cale perante a injustiça que traz fome a quem produz riqueza e riqueza a quem produz a fome.
    Que este poema exista sempre em nós com a força que nos incutes por estares sempre presente.

    Abraço

    ResponderEliminar
  6. é preciso arregaçar as mangas...e ajudar o Haiti!!!

    ResponderEliminar
  7. Tantas verdades nestas quadras!

    Um abraço e bfds.

    ResponderEliminar
  8. gostei muito ler estas verdades. em forma poética.

    abraços

    ResponderEliminar
  9. Assim é, amigo... e as situações continuam. Infelizmente! :( Meu abraço, boa semana.

    ResponderEliminar
  10. «.........mini-spam.........»
    SEPARATISMO NA EUROPA
    Todos Diferentes! Todos Iguais!
    {TODOS os povos - quer os de maior, quer os de menor, rendimento demográfico - devem possuir o Direito de ter o SEU espaço no planeta}


    -----> De um lado, temos PREDADORES INSACIÁVEIS (os islâmicos e não só) numa corrida demográfica pelo controlo de novos territórios....
    -----> De outro lado, temos pessoal que quer é curtir... «as chatices que envolvem a sobrevivência duma Identidade... são coisas de parvos que não sabem gozar a vida»... e que adoptam uma bandalheira inqualificável na procura de negociatas-fáceis - (a maioria) os europeus:
    -> não se preocupam em construir uma SOCIEDADE SUSTENTÁVEL [nota: há que pagar os custos de renovação demográfica necessários até... se alcançar a média de 2.1 filhos por mulher]...
    -> vendem o património público que herdaram...
    -> deixam dívidas para quem vier a seguir que pague...
    -> querem reformas antecipadas e, como não constituem uma sociedade sustentável,... lá irão ser os imigrantes, e seus filhos, que irão suportar essa dívida...
    -> etc
    -----»»»»» Resumindo e concluindo: antes que seja tarde demais, há que mobilizar aquela minoria de europeus que possui disponibilidade emocional para abraçar um projecto de Luta pela Sobrevivência... SEPARATISMO-50-50... e coligação contra o inimigo comum: os predadores insaciáveis...



    ANEXO
    -> É preciso abrir os olhos!
    -> Ao contrário da colonização europeia nas Américas... os islâmicos (entre outros) são uns PREDADORES INSACIÁVEIS... logo, na Europa nunca irão existir reservas para os nativos!
    -> A 'lavagem cerebral' dos media não explica tudo... e com o seu discurso de desresponsabilização e branqueamento dos negociatas-fáceis... e de... «fuga para a frente a caminho da implosão»... os PNR's (e afins) são uns idiotas úteis ao serviço (por exemplo) dos islâmicos...

    ResponderEliminar
  11. Poema que penetra fundo no dia a dia de uma difícil.
    Bjs.

    ResponderEliminar
  12. Uma passagem breve para desejar Bom Fim-de-semana
    Abraço do Zé

    ResponderEliminar
  13. Valente,
    Bela descrição da nossa sociedade, e dos engravatados que em vez de nos governarem, nos desgovernam.
    Bom fds.
    Abraço.

    ResponderEliminar
  14. Soltar a voz, sempre que necessário.
    Bom fim de semana.
    Abraço.

    ResponderEliminar
  15. abraço, cara amigo..tudo de bom

    ResponderEliminar